Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do butirato no metabolismo de células leucêmicas resistentes

Processo: 11/00025-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Enzimologia
Pesquisador responsável:Carmen Veríssima Ferreira
Beneficiário:Milena Andreotti de Freitas
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Leucemia   MicroRNAs

Resumo

A Leucemia Mielóide Crônica (CML), caracterizada principalmente pelo gene de fusão BCR-ABL, ainda apresenta deficiências no tratamento de pacientes, como ocorre com outros tipos de câncer. Portanto, o entendimento molecular de potenciais antitumorais é essencial para uma intervenção terapêutica mais efetiva. O butirato tem se mostrado bastante efetivo em induzir morte de células tumorais, principalmente por inibir as histonas desacetilases e consequentemente, alterar a expressão de uma variedade de genes. No entanto, pouco se sabe sobre a influência do butirato em vias de sinalização. Desta forma, o principal objetivo do presente projeto é avaliar o efeito do butirato na atividade e expressão da proteína tirosina fosfatase de baixa massa molecular (LMWPTP), Dicer, Drosha e dos microRNAs Let-7a e miR-125b. Recentemente observamos que as células da CML, que apresentam alta expressão da P-glicoproteína (bomba de efluxo de fármaco associada ao processo de resistência), também apresentam altos níveis da LMWPTP e Dicer. Além disto, observamos que o silenciamento destas proteínas provoca um aumento da sensibilidade das células leucêmicas a ação de quimioterápicos. Portanto, uma vez que o butirato é capaz de modular a expressão gênica e induzir morte celular, será que estes mecanismos estariam associados à modulação direta ou indireta destas enzimas? O projeto proposto é inédito no contexto da resistência de células tumorais e poderá gerar informações cruciais sobre alvos para intervenções farmacológicas e possível utilização do butirato em combinação com quimioterápicos convencionais para aumentar a eficiência do tratamento.