Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das propriedades superficiais de materiais reembasadores resilientes temporários para base de próteses após a incorporação de agentes antimicrobianos

Processo: 11/02780-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Karin Hermana Neppelenbroek
Beneficiário:Elen Juliana Bonassa de Sousa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Prótese total   Próteses e implantes   Estomatite protética   Rugosidade superficial

Resumo

Apesar da etiologia da estomatite protética ser considerada multifatorial, a infecção por Candida albicans é considerada o principal fator etiológico. A recorrência dessa patologia é comum em até duas semanas após seu tratamento devido a uma concentração insuficiente de antimicrobianos na superfície interna da prótese. Isso se deve à ação de limpeza da musculatura bucal, ao efeito diluente da saliva, à contaminação da resina acrílica da base em profundidade pelos microrganismos e à proteção dos mesmos à ação das drogas pelo sistema de biofilme. Por isso, no tratamento da estomatite protética, é imprescindível aumentar a concentração de antimicrobianos nos sítios infectados e ao, mesmo tempo, reduzir microrganismos das superfícies das próteses. A incorporação de agentes antimicrobianos em reembasadores resilientes como tratamento para a estomatite protética apresenta vantagens como: redução do trauma causado pela prótese, eliminação do contato da mucosa infectada com a base acrílica e, portanto, do ciclo de re-infecção, ação dos agentes antimicrobianos sobre os tecidos paraprotéticos injuriados, custo reduzido e redução da participação ativa dos pacientes. Em estudo anterior, determinou-se as mínimas concentrações inibitórias (MCIs) para biofilme de C. albicans de 5 antimicrobianos incorporados a dois reembasadores temporários. Contudo, a adição das drogas pode promover efeitos deletérios às propriedades físicas e mecânicas dos materiais resilientes. Assim, foi julgado oportuno avaliar em longo prazo a dureza Shore A e a rugosidade superficial de diferentes reembasadores resilientes temporários (Softone e Trusoft) após a incorporação de 5 drogas (nistatina, miconazol, cetoconazol, itraconazol e clorexidina) nas MCIs previamente determinadas. Os corpos de prova (36 x 7 x 6 mm), com ou sem a adição de drogas, serão submetidos aos testes após armazenagem em água destilada a 37ºC por 24 h e 7 e 14 dias.