Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação da expressão de fatores de regeneração de células beta pancreáticas de camundongos nod (non-obese diabetic)tratados com gangliosídeos

Processo: 11/09744-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ricardo de Lima Zollner
Beneficiário:Daniella de Figueiredo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/53495-1 - Modulação da expressão de fatores de regeneração de células beta pancreáticas de camundongos NOD (non-obese diabetic) tratados com gangliosideos, AP.R
Assunto(s):Autoimunidade   Imunologia clínica   Flavonoides
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Autoimunidade | Camundongos NOD | Desenvolvimento de novas drogas | flavonóides | Passiflora Alata | Regeneração celular | Imunologia Clínica

Resumo

Nosso laboratório tem se dedicado a estudar substâncias que modulem a inflamação, usando como ferramenta a linhagem de camundongos NOD que apresentam diabetes tipo1 espontâneo. Entre os projetos desenvolvidos, destacamos o estudo da diacereina e de gangliosideos como drogas disponíveis no mercado e que mostraram ter propriedades moduladoras da inflamação e na diminuição da expressão do diabetes. No momento estamos no período final de projeto que mostra efeitos sobre a expressão de fatores de regeneração de células beta pancreáticas. A procura de novos fármacos a partir de plantas medicinais tem motivado a busca alternativa de substâncias com potencial antiinflamatório e que possam auxiliar no tratamento das doenças como o diabetes tipo1. Relatos da literatura, nem sempre indexada, sugerem que o maracujá possua ação hipoglicemiante e melhora do controle do diabetes. Dentre os constituintes os alcalóides e flavonóides são candidatos relevantes. Iniciamos piloto nos mesmos moldes estabelecidos por nossos protocolos de estudos empregados para a diacereina e gangliosideos. Os resultados preliminares com relação a atividade antioxidante, ação potencial sobre estresse oxidativo e expressão do diabetes chamaram nossa atenção, principalmente com referência a diminuição do grau de lesão da ilhota. Com isso reunimos equipe que pudesse em curto espaço de tempo trazer informações relevantes que possam subsidiar e ampliar conhecimentos para a utilização do Passiflora alata no tratamento do diabetes. Além disso, por ser alimento natural e de fácil acesso, traz ingrediente adicional em termos de vantagem aos estudos básicos e a populacionais. Assim, o presente estudo visa identificar e caracterizar componentes da folha do Passiflora alata por intermédio de HPLC e Espectrometria de Massa, avaliar a repercussão do tratamento sobre a lesão das ilhotas pancreática no diabetes isto é, classificação, caracterização e fenotipificação do infiltrado inflamatório na ilhota, expressão de marcadores de regeneração celular como neurogenin3, Pdx1, NeuroD e que repercutem na diminuição do diabetes, além de investir no desenvolvimento de novas drogas com potencial de interferir na evolução do diabetes.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)