Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões de efeito BOLD em pacientes vítimas de doenças cerebrovascular isquêmica e portadores de atividade epileptiforme interictal

Processo: 11/50568-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Pesquisador responsável:Li Li Min
Beneficiário:Fabricio Oliveira Lima
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Epilepsia   Eletroencefalografia

Resumo

Estudos prévios tem mostrado que a doença cerebrovascular foi à causa identificada mais comum de epilepsia secundária. Poucos estudos em humanos tem procurado estudar a incidência e a fisiopategenia da atividade epileptiforme na fase precoce do AVC isquêmico. A seqüência de ressonância magnética (RM) funcional utilizando efeito BOLD (Blood Oxygen Levei Dependent) constitui uma técnica valiosa e não invasiva na detecção de ativação neuronal. A realização simultânea de eletro encefalograma (EEG) e RM funcional têm criado um campo promissor de pesquisas a respeito da atividade epileptiforme incrementando o nível de conhecimento, referente ao acoplamento neurovascular em situações normais e patológicas. Este projeto tem por objetivo estudar os padrões do efeito BOLD associados à atividade epileptiforme interictal detectada na fase precoce do AVC isquêmico. Serão incluídos pacientes acima de 18 anos com AVC isquêmico comprovados através de TC de crânio admitidos no serviço de emergência do HC-UNICAMP. Será realizado EEG na fase aguda (≤ 72 horas do início dos sintomas). Aqueles que apresentarem atividade epileptiforme serão convidados a realizar estudo simultâneo de EEG-RM funcional dentro de 30 dias do início dos sintomas. Serão realizados procedimentos de ajuste para ambos os exames. O EEG será analisado por eletroencefalografista, com o intuito de se localizar ondas características de atividade epileptiforme no traçado. Depois de identificada, a atividade é marcada no próprio traçado. Subseqüentemente, os instantes marcados serão usados como paradigmas na análise das imagens de RM funcional realizada no SPM8 por meio de métodos estatístico apropriados. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LIMA, Fabricio Oliveira. Atividade epileptiforme interictal no AVC isquêmico : prevalência, valor prognóstico e padrões de efeito bold. 2015. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Ciências Médicas.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.