Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da ação antiviral da cafeína sobre a replicação do Vírus da Hepatite C

Processo: 11/09577-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2011
Vigência (Término): 31 de maio de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Molecular e de Microorganismos
Pesquisador responsável:Paula Rahal
Beneficiário:Mariana Nogueira Batista
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto, SP, Brasil
Assunto(s):Cafeína   Vírus da hepatite C

Resumo

A hepatite C é a inflamação do fígado causada pelo vírus da hepatite C (VHC), o qual infecta os hepatócitos e por não gerar no hospedeiro resposta imune adequada provoca, na maioria dos casos, um quadro crônico que a longo prazo leva a várias complicações sendo a maior causa da cirrose hepática e carcinoma hepatocelular em todo o mundo. A infecção atinge cerca de 170 milhões de pessoas mundialmente e, apesar de todos os esforços voltados para o combate deste vírus, ainda não existe uma terapêutica definitiva. O uso de terapias naturais tem surtido efeitos protetores contra vários tipos de vírus e surge como alternativa para novas drogas antivirais. Recentemente, em estudos clínicos, foi demonstrado que o consumo de café, e em alguns casos a ingestão de cafeína, tem auxiliado na redução do desenvolvimento de câncer hepatocelular, cirrose e fibrose hepática. Entretanto nestes estudos não foi avaliado o impacto da cafeína na replicação do vírus da hepatite C, principal fator responsável pelo desenvolvimento dessas doenças. Portanto, a cafeína será avaliada in vitro quanto à sua capacidade de inibição ou diminuição na replicação do vírus e seu efeito associado ao interferon. Para o estudo serão utilizados o replicon pSGR-JFH-1, contendo partes do genoma 2a viral, e células de linhagem contínua de hepatoma humano Huh-7. A eficiência do composto será avaliada por titulação viral e expressão protéica.