Busca avançada
Ano de início
Entree

As causas da recalcitrância de Cálicles no 'Górgias' de Platão

Processo: 11/02005-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Línguas Clássicas
Pesquisador responsável:Daniel Rossi Nunes Lopes
Beneficiário:Daniel Rossi Nunes Lopes
Anfitrião: David Neil Sedley
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Cambridge, Inglaterra  
Vinculado ao auxílio:09/16877-3 - Filosofia grega clássica: Platão, Aristóteles e sua influência na Antiguidade, AP.TEM
Assunto(s):Língua grega clássica   Platão   Moral   República

Resumo

Este estudo tem como objetivo principal analisar as causas da recalcitrância da personagem Cálicles no Górgias de Platão, a partir dos indícios sugeridos pelo autor no diálogo. Todavia, buscarei mostrar que uma explicação satisfatória para o fenômeno Cálicles só é possível à luz da psicologia moral platônica desenvolvida nos Livros IV, VIII e IX da República. Para tal fim, será preciso argumentar, primeiramente, em favor da tese de que no Górgias encontram-se presentes argumentos suficientes que apontam para o reconhecimento, ainda que incipiente, do thumos e das epithumiai como elementos constitutivos da alma, de modo a justificar a afinidade conceitual entre os dois diálogos. No segundo momento, tentarei compreender a recalcitrância de Cálicles do ponto de vista da configuração de sua alma, com o intuito de mostrar que Platão, por meio dessa personagem em particular, representa precisamente o estágio de transformação da alma democrática em tirânica, conforme a argumentação dos Livros VIII e IX da República. Por fim, retornando ao Górgias, argumentarei que o fracasso do elenchos socrático salienta os limites da eficácia persuasiva do discurso filosófico, especialmente quando dirigido a um interlocutor como Cálicles, representado por Platão como um tirano em potência. (AU)