Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da metformina nas alterações vasculares promovidas pela gordura perivascular da aorta de ratos obesos: papel da cinase ativada por AMP (AMPK)

Processo: 11/06303-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Eliana Hiromi Akamine
Beneficiário:Paula Kimie Honda
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Metformina   Obesidade   Reatividade cardiovascular

Resumo

Além da gordura visceral, estudos recentes têm demonstrado que o acúmulo de gordura na região perivascular pode contribuir para alterações na função vascular na obesidade. A cinase ativada por AMP (AMPK) é uma enzima que participa da homeostase energética e também pode regular a função vascular, por exemplo, aumentando a fosforilação da óxido nítrico sintase endotelial (eNOS). O tecido adiposo perivascular parece reduzir a expressão da AMPK na aorta de ratos obesos. A AMPK medeia, pelo menos em parte, os efeitos da metformina, que é um dos agentes anti-hiperglicemiantes mais comumente utilizados para o tratamento do diabetes tipo 2. Assim, propomos no presente estudo que a metformina poderia corrigir a disfunção vascular na obesidade, por promover efeitos diretos no tecido adiposo perivascular, que por fim ativariam a via AMPK/eNOS. O objetivo do presente projeto, portanto, será avaliar o efeito da metformina sobre a regulação da reatividade vascular pelo tecido adiposo perivascular em aorta de ratos obesos, com enfoque especial na via AMPK/eNOS. Para cumprir esse objetivo, avaliaremos a resposta vasoconstritora à noradrenalina, ao vasodilatador dependente do endotélio acetilcolina e ao vasodilatador independente do endotélio nitroprussiato de sódio em aorta, com ou sem tecido adiposo perivascular, de ratos com obesidade, induzida por glutamato monossódico, tratados com metformina. A reatividade vascular será estudada também na presença do composto C, inibidor da AMPK, para avaliar a participação dessa enzima nos efeitos da metformina. Avaliaremos também o conteúdo total e fosforilado da AMPK e eNOS na aorta, com ou sem o tecido adiposo perivascular, dos ratos obesos tratados com metformina. Espera-se com esse estudo entender o papel da AMPK nas ações vasculares da metformina.