Busca avançada
Ano de início
Entree

Ultrassonografia dúplex-Doppler colorido e elastografia de lesões hepáticas focais em modelo experimental de esteatohepatite não-alcoólica (ratos Sprague-Dawley)

Processo: 11/07708-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Radiologia Médica
Pesquisador responsável:Maria Cristina Chammas
Beneficiário:Cibele Figueira Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Radiologia (INRAD). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fígado gorduroso   Técnicas de imagem por elasticidade   Fígado   Ultrassonografia

Resumo

O carcinoma hepatocelular é o quinto tumor mais comum e é uma reconhecida complicação da esteatohepatite não alcoólica em estágio avançado. A detecção precoce de lesões focais hepáticas é um desafio na rotina clínica e torna-se ainda maior na presença de uma doença difusa do parenquima hepático. A ultrassonografia ainda é o exame de eleição para triagem destes casos. A utilização da elastografia associada ao ultrassom diagnóstico tem se mostrado um meio promissor no diagnóstico diferencial de lesões malignas e benignas em tecidos moles. Utilizando o modelo experimental de esteato-hepatite não alcoólica (ENA) recentemente desenvolvido (LIMA et al., 2008), este trabalho terá como objetivos: 1) acompanhar a evolução da esteatose hepática, bem como dos nódulos regenerativos até a formação do carcinoma hepatocelular por meio da ultrassonografia modo-B, Doppler e com a elastografia a fim de distinguir a natureza dos nódulos por meio do padrão hemodinâmico dos mesmos e da natureza de dureza dos tecidos; 2) avaliar o desempenho diagnóstico destes métodos de imagem comparando os resultados ao histopatológico. Serão utilizados 20 ratos Sprague-Dawley, machos, pesando 200-250 g que serão distribuídos em 2 grupos (Grupo controle e o Grupo experimental). Os animais serão submetidos a ultrassonografia (modo-B, Doppler e elastografia) semanalmente para avaliação da arquitetura hepática a partir da segunda semana após o início da dieta até a detecção de lesões nodulares em parênquima hepático. Após a detecção de nódulos com características de malignidade, os animais sofrerão eutanásia e serão retirados fragmentos de tecido hepático para análise histológica.