Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise ultraestrutural e morfológica do cólon descendente e tecido dérmico/epidérmico após o desafio provocado por obstrução não estrangulativa intraluminal do cólon descendente

Processo: 11/08792-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:José Corrêa de Lacerda Neto
Beneficiário:Maria Cristina Hernandez Tovar
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia laparoscópica animal   Doenças do sistema digestório em animal   Equinos   Cólica animal   Microscopia eletrônica de transmissão

Resumo

A síndrome cólica é uma das principais causas de urgência cirúrgica em medicina veterinária. O sistema digestório equino é sede de importantes disfunções clínicas que levam estes animais à morte, quando não, podem causar laminite, outro distúrbio extremamente doloroso e debilitante no qual há separação das lâminas dérmicas e epidérmicas responsáveis pela sustentação da falange distal pela muralha do casco, complicação séria e bem reconhecida que com certa frequência se manifesta no decorrer ou após quadros de abdômen agudo. Em que pese a importância da ocorrência de cólicas causadas por alterações envolvendo o cólon descendente, há poucos trabalhos experimentais enfocando esta porção do tubo intestinal. O objetivo do presente estudo é analisar de forma ultraestrutural as células do cólon descendente, do tecido pulmonar, cutâneo e podal de equinos durante a isquemia induzida experimentalmente por obstrução intraluminal do cólon descendente. Serão utilizados oito equinos adultos hígidos, machos ou fêmeas, sem raça definida, entre cinco e 15 anos de idade. Os animais passarão inicialmente por celiotomia e obstrução intraluminal do cólon descendente com duração de 240 minutos. Serão realizadas biópsia de segmentos da parede do cólon descendente antes e ao final da obstrução, assim como do tecido cutâneo e podal. Após processamento, o material de biópsia será analisado por meio de microscópio eletrônico de transmissão para obtenção de imagens as quais serão posteriormente submetidas à analise. A análise ultraestrutral será realizada visando às alterações morfológicas que ocorreram nas células do cólon descendente, assim como do tecido dérmico/epidérmico, seja cutâneo ou podal destes equinos. Os dados obtidos serão avaliados por meio de análise estatística. Este estudo será realizado conjuntamente com outro experimento já aprovado pela FAPESP (2008/07877-7). (AU)