Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da palha e da aplicação de vinhaça nas emissões CO2, N2O e CH4 em solo de soqueira de cana-de-açúcar

Processo: 11/09272-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Janaina Braga Do Carmo
Beneficiário:Eduardo Almeida Anunciação
Instituição-sede: Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Campus de Sorocaba. Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Cana-de-açúcar   Vinhaça   Nitrogênio   Emissão de gases

Resumo

O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, estando atualmente, principalmente por exigências legais e ambientais, em fase de substituição da tradicional colheita manual, com utilização do fogo, pela colheita mecanizada, que resulta na cobertura do solo com a palha remanescente. Esta palha representa um compartimento de nutrientes de liberação lenta, além de barreira física que auxilia na conservação do solo. Por outro lado, pouco se conhece sobre o efeito da palha de cana nos fluxos de gases de efeito estufa, uma vez que a manutenção de maior quantidade de palha no campo pode alterar a umidade do solo, bem como a dinâmica do C e do N no sistema. O objetivo deste trabalho é avaliar as emissões de CO2, N2O e CH4 em área de soqueira de 2º corte de cana-de-açúcar sob diferentes quantidades de palha no solo, com ou sem aplicação de vinhaça. O delineamento experimental será o de blocos ao acaso, em esquema fatorial, com quatro repetições. Serão duas quantidades de palha de cana-de-açúcar aplicadas sobre a superfície do solo (0 e 14 t ha-1 palha), com ou sem aplicação de vinhaça, cujo volume será definido em função do teor de potássio no resíduo e da dose de 500 kg ha-1 de K2O. Cada parcela experimental consistirá de 5 linhas de cana-de-açúcar, com 8 m de comprimento cada. A medição dos fluxos de gases do efeito estufa será realizada por meio de câmaras fixas (quatro por parcela - 2 na linha e 1 na entrelinha), em que serão feitas amostragens intensivas após da distribuição da palha e/ou aplicação de vinhaça nas parcelas. Após esse período inicial, em que são esperados os maiores fluxos dos gases, a periodicidade de amostragem será mensal até a colheita da cana. A determinação dos gases será em cromatógrafo gasoso com determinação simultânea das concentrações de N2O e CO2 por meio de detector tipo ECD (de captura de elétrons) operando a 300ºC e de CH4 por detector tipo FID (ionização de chama). O tratamento estatístico dos dados será por meio de análise de variância, com posterior análise de regressão para quantidades de palha e teste t para o uso ou não de vinhaça.