Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação quantitativa em pacientes parkinsonianos submetidos a estimulação cerebral profunda: avaliação dos efeitos sobre os sintomas sensitivos

Processo: 11/11464-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Daniel Ciampi Araujo de Andrade
Beneficiário:Bruna Luiza Roim Varotto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/19392-8 - Avaliação quantitativa em pacientes parkinsonianos submetidos a estimulação cerebral profunda: avaliação dos efeitos sobre os sintomas sensitivos, AP.R
Assunto(s):Dor   Neurologia

Resumo

O bolsista será assistido pelo pesquisador responsável no que tange as condições de treinamento para a realização dos testes, a dedicação será de 40 horas semanais, pois o treinamento em si inclui participações em reuniões científicas do departamento, leitura e apresentações de artigos referentes ao tema, participação em ambulatórios didáticos e discussão de casos clínicos. Bem como participações em reuniões científicas e apresentações de pôster e/ou apresentações orais, a respeito dos resultados gerados pelo treinamento. Cabe ainda dentro do treinamento técnico a aprendizagem de métodos depesquisa e orientação de como produzir artigos, e desenvolvimento de planos de pesquisa. A finalidade do treinamento é formar pesquisador, mais que simplesmente fornecer substrato para o estudo em si, é permitir que o bolsista consiga por si só pensar em questões de pesquisa que ainda estão por ser respondidas na comunidade científica.Avaliação através do Teste Quantitativo de Sensibilidade: O bolsista será responsável por aplicar aos pacientes participantes deste estudo o TQS, nas duas condições descritas no projeto, tanto nas avaliações pré como pós operatórias. Caberá também a ele orientar o idoso e os familiares da importância deste teste, esclarecer dúvidas. O teste ocorrerá da seguinte forma: será utilizado um termodo (TSA-II, MEDOC, Israel), posicionado na região tenar da mão do paciente, na outra mão ele segurará um botão para acionar o momento em que ele perceber a mudança de temperatura (para quente e frio), será realizado três medidas consecutivas. Logo a seguir, utilizado um vibrômetro para a percepção também na região tenar para a percepção inicial da vibração, com os filamentos de Von Frey de espessuras crescentes que permitem determinar o limiar de detecção e de dor tátil pelo método de escolha forçada. Durante os testes tanto com Von Frey, quanto com TSA-II, será apresentado para o paciente uma escala visual analógica, para que ele diga o quanto de dor está sentindo naquele momento.Avaliação da dor atráves de escala visual analógica (EVA): Caberá ao bolsita também apresentar e aplicar nos pacientes em diferentes momentos as escalas padronizadas de dor, seja esta a EVA ou outra qualquer escala que seja eleita para fazer parte do escopo deste projeto de pesquisa, basicamente as escalas de dor levam em conta a percepção do sujeito a respeito da dor percebida no momento de sua aferição, a EVA é uma escala de fácilaplicação e barata, que consiste de uma linha de 10cm onde em cada extremidade consta as opções, nenhuma dor ou a pior dor possível, sem que haja para o paciente a gradação da escala ele deve apontar ou riscar o quanto na escala representa a dor dele. Outros questionários também utilizados englobam o dor neuropática 4 (DN-4), o questionário de dor McGill em sua forma reduzida e uma avaliação funcional centrada em pontos dolorosos miofasciais.Aplicação do UPDRS: Conforme descrito no projeto, a escala para análise do movimento com escore motor é um teste clássico bem descrito na literatura que ainda causa controvérsia em seu momento de aplicação, há descrito ainda padronizações de sua aplicação, bem como vídeos e certificações pela Sociedades de Estudos dos Distúrbios do Movimento, para reduzir os viéses de aplicação, através desta escala mede-se na doença de Parkinson, a bradicinesia, tremores e rigidez, além de alterações do equilíbrio. Classifica-se de zero a quatro, em níveis crescentes de intensidade dos sintomas, sendo o escore máximo de 108. Os resultados desta escala serão comparados aos dados referentes à sensibilidade com o intuito de se aferir possível correlação entre os efeitos motores da EEP e os não motores (efeitos sobre a sensibilidade).