Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo temporal dos efeitos do treinamento físico aeróbio sobre a lesão pulmonar induzida por exposição à fumaça de cigarro em camundongos C57BL6

Processo: 11/00034-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Alessandra Choqueta de Toledo
Beneficiário:Camila Liyoko Suehiro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Enfisema pulmonar   Treinamento aeróbio   Fumo

Resumo

O exercício aeróbio foi recentemente descrito como capaz de reduzir a função pulmonar e diminuir o risco de desenvolver DPOC entre fumantes ativos. A plausibilidade biológica da influência da atividade física sobre o declínio da função pulmonar está relacionada aos efeitos anti-inflamatórios do exercício físico, que tem sido descritos em estudos experimentais. A hipótese é a existência de uma interação entre exercício aeróbio e o desenvolvimento da doença. A fim de explorar a fisiopatologia da DPOC induzida por exposição à fumaça de cigarro e os efeitos temporais do treinamento físico no desenvolvimento do enfisema, utilizaremos um modelo experimental de DPOC em camundongos C57Bl6. Os animais serão divididos em quatro grupos: Controle, Fumo, Exercício e Fumo/Exercício, que serão estudados em 4, 8 ou 12 semanas, totalizando 12 grupos. Os animais dos grupos Fumo serão expostos à fumaça de cigarro 30 minutos por dia, 2 vezes ao dia, 5 dias por semana, durante 4, 8 ou 12 semanas. Os animais dos grupos Exercício serão treinados durante 60 minutos por dia, 5 dias por semana, por 4, 8 ou 12 semanas. Vinte e quatro horas após a última exposição e/ou treinamento físico em 4, 8 ou 12 semanas, os animais serão anestesiados e serão coletados dados de mecânica pulmonar e lavado broncoalveolar, os pulmões serão retirados em bloco, fixados e corados em hematoxilina-eosina para a mensuração do diâmetro alveolar médio. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: