Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento de força nos adipócitos de ratas ovariectomizadas: análise morfométrica e expressão gênica da miostatina e seu receptor

Processo: 11/07165-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Pesquisador responsável:Heloisa Sobreiro Selistre de Araújo
Beneficiário:Guilherme Henrique Gatti da Silva
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:98/14138-2 - Center for Structural Molecular Biotechnology, AP.CEPID
Assunto(s):Teste de esforço   Miostatina   Ovariectomia   Climatério   Menopausa

Resumo

Mulheres no climatério defrontam-se com um evento natural denominado menopausa, resultante da perda da atividade folicular ovariana, gerando insuficiência de estrogênio. Na menopausa, a sarcopenia aumenta, provocando prejuízo neuromuscular, gerando um declínio no equilíbrio e força muscular, aumentando o risco de quedas e fraturas, além de estar relacionada às doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Em 1997 a miostatina (MSTN) foi identificada como membro da família de fatores de crescimento e transformação ² os quais exercem ação regulatória sobre processos celulares fundamentais como crescimento e diferenciação, adesão e morte, motilidade na maioria das células. Estudos sugerem a existência de função regulatória da MSTN sobre o metabolismo energético e um possível papel benéfico da supressão da MSTN em doenças metabólicas. Outros estudos têm demonstrado diminuição da expressão de MSTN e de seu receptor (ActRIIB) em resposta ao exercício de resistência de longa e curta duração. Embora o papel desempenhado pela MSTN na regulação do aumento da massa muscular seja objeto de muitos estudos em resposta ao exercício, na condição da ausência de estrogênio seu papel ainda não foi bem definido. Para o desenvolvimento desse projeto foram usadas 40 ratas Wistar adultas separadas nos grupos: sedentário pseudoovariectomizado (OVX); sedentário OVX; treinamento de força pseudoOVX e treinamento de força OVX. Os animais foram submetidos a um treinamento resistido de 12 semanas escalando uma escada vertical de 1,1m com pesos progressivos presos as suas caudas, três vezes por semana. Este trabalho tem como objetivo verificar se o treinamento de força altera a expressão da (MSTN) e de seu receptor (ActRIIB) no tecido adiposo Visceral, Subcutâneo e Parametrial por PCR quantitativo alem de verificar o tamanho dos adipócitos. Espera-se contribuir na compreensão se o exercício resistido é eficaz em reduzir os efeitos da pos-menopausa, para assim poder propor um modelo alternativo na suavização dos sintomas. (AU)