Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de citocinas em tecido mamário e sua relação com a malignidade de tumores de mama em cadelas

Processo: 10/12946-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Rosemeri de Oliveira Vasconcelos
Beneficiário:Thaís Larissa Lourenço Castanheira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Citocinas   Evasão tumoral   Cães

Resumo

As neoplasias de mama em cadelas são o tipo tumoral mais frequente nesta espécie. Em nossa rotina de diagnóstico, existe predominância de tumores mamários malignos, com idade média da cadela em torno dos 8 a 10 anos. O infiltrado inflamatório é observado constantemente associado às neoplasias de mama. Várias pesquisas em mulheres descrevem a relação da reposta imune ao tumor com o seu controle ou crescimento e metástase. Citocinas antiinflamatórias (Th2) geralmente predominam em tumores com características clínico- patológicas de malignidade, favorecendo o seu crescimento e difusão para sítios distantes. Em cadelas, o comportamento das neoplasias de mama possui similaridade ao da mulher. Estudos que enfoquem o perfil de resposta imune em tumores de mama nesta espécie são raros na literatura científica. Portanto, o objetivo deste estudo será avaliar a expressão de algumas citocinas anti e pró-inflamatórias e comparar este perfil com o grau de malignidade do tumor e estadiamento clínico. Serão utilizadas amostras de tecido mamário neoplásico encaminhadas ao Serviço de Diagnóstico Histopatológico, do Departamento de Patologia Veterinária (FCAV-UNESP). Parte deste material será processado conforme rotina laboratorial até a inclusão em parafina, para análise em microscopia de luz. Outra parte das amostras será congelada em nitrogênio líquido até o processamento para a quantificação das citocinas pela técnica de qPCR. Os cães serão distribuídos em três grupos: grupo 1 (grupo controle, composto por cadelas sem tumor de mama, oriundas da rotina de necropsia do departamento), grupo 2 (cadelas com tumores benignos na mama), grupo 3 (composto por cadelas com carcinomas túbulo papilíferos de mama). O grupo 3 será sub-dividido de acordo com o grau histológico (I, II e III) em 3A, 3B e 3C respectivamente. A resposta inflamatória associada aos tumores será avaliada por meio de imuno-histoquímica, com a determinação da média de células imunomarcadas/grupo. As médias das células inflamatórias imunomarcadas serão comparadas com o grau de malignidade do tumor de mama e com o perfil de citocinas determinado por qPCR. Com estes resultados espera-se avaliar a possibilidade de um comportamento de evasão imune nos tumores malignos, similar ao observado em diversas neoplasias malignas em humanos. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CASTANHEIRA, Thaís Larissa Lourenço. Expressão de citocinas na glândula mamária de cadelas e sua relação com a malignidade dos tumores mamários. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.