Busca avançada
Ano de início
Entree

Áreas afetadas por BTEX na região de Cubatão: isolamento de microrganismos com potencial para biorremediação e impactos sócio ambientais causados por estes compostos

Processo: 11/01537-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Claudio Augusto Oller do Nascimento
Beneficiário:Ingrid Regina Avanzi
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57708-7 - CEPEMA-USP, AP.TEM
Assunto(s):Biorremediação

Resumo

A poluição do solo por uso de derivados de petróleo como o grupo de hidrocarbonetos denominado de BTEX (benzeno, tolueno, etilbenzeno e xileno), apresenta grande risco a comunidades próximas a esses locais. Esses compostos são tóxicos, comprovadamente cancerígenos e pode levar uma pessoa a morte, mesmo em concentrações extremamente pequenas. O cidadão, muitas vezes não tem noção do que sejam estes contaminantes e o grande perigo que representam. Milhares de residências têm sido construídas sobre resíduos perigosos que continuam ativos, emitindo gases e contaminando o lençol freático. Em particular, na região de Cubatão, o problema se agrava com o uso indevido de águas de rios e riachos, que por um processo de percolação, acabam sendo contaminadas pelo solo. Podendo ocorrer de o ponto de coleta de água ser próximo ao sítio contaminado. O presente trabalho pretende isolar microrganismos de áreas contaminadas, identificá-los através de ferramentas moleculares e utilizá-los num processo de possível biorremediação (tratamento) destes solos. O trabalho conta com o auxílio de programas sócio-ambientais existentes no Centro de Pesquisa e Capacitação em Meio Ambiente (CEPEMA-USP), e tem como principal objetivo conscientizar a população carente cubatense, que faz uso indevido da água contaminada, aos perigos do BTEX. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.