Busca avançada
Ano de início
Entree

Riqueza, abundância relativa e densidade de ninhos de meliponíneos (Apidae, Meliponini) em 2 áreas com fitosionomias distintas no Parque de Ciência e Tecnologia da USP (Cientec) , São Paulo (23º38'S; 46º36'W)

Processo: 11/03569-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Astrid de Matos Peixoto Kleinert
Beneficiário:Vanderson Cristiano de Sousa
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Dinâmica de populações   Abelhas   Meliponini   Polinização   Áreas de conservação

Resumo

Os meliponíneos atuam como importantes polinizadores de espécies nativas nas regiões tropicais e subtropicais e apresentam uma grande relevância para as Unidades de Conservação. Apesar da extrema importância dos fragmentos florestais, como unidades de conservação e parques urbanos, os únicos levantamentos de ninhos de meliponíneos feitos na grande São Paulo foram realizados em áreas urbanas. Visto que a disponibilidade de sítios de nidificação, conforme a oferta de diferentes substratos (ocos, árvores, cupinzeiros), pode determinar a estrutura da comunidade de meliponíneos, com possíveis consequências para todo o habitat, este trabalho tem como objetivo levantar a população de diferentes espécies de meliponíneos em 2 áreas com fitosionomias distintas (área1 - maior densidade de indivíduos arbóreos; área 2 - poucos elementos arbóreos). O local de estudo é a área natural do Parque Cientec da USP (23º 39' S, 46º 37'W), inserido em um grande "ilha verde", o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga - São Paulo, SP. Objetiva-se testar as hipóteses de que a maior oferta de substratos para a nidificação (ocos de árvores), na área 1, leva a uma maior riqueza, abundância relativa e densidade ninhos de meliponíneos, com o predomínio de espécies que nidificam em árvores. Espera-se encontrar na área 2 uma maior ocorrência de espécies de meliponíneos que nidificam no solo, e abelhas do gênero Melipona só serão passíveis de serem encontradas na área 1. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.