Busca avançada
Ano de início
Entree

Embalagens e temperaturas de armazenamento em camu-camu (Myrciaria dubia), para exportação

Processo: 10/14435-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Marta Helena Fillet Spoto
Beneficiário:Jacqueline de Oliveira
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ciência de alimentos   Camu-camu   Myrciaria   Refrigeração   Embalagens de alimentos

Resumo

No Brasil, existem diversas espécies frutíferas com alto potencial de exploração comercial, especialmente na região amazônica, local de origem do camu-camu (Myrciaria dubia HBK McVaugh). O camu-camu é um fruto que possui um dos mais altos teores de vitamina C, além disso, possui atividade antioxidante, elevados teores de carotenoides e compostos fenólicos. Esses fatores fazem com que este fruto e seus produtos venham se posicionando na preferência dos consumidores de frutas exóticas, com grande potencial de exportação. Desta forma, o objetivo deste trabalho é avaliar a embalagem mais adequada que conserve as características físicas, químicas e nutricionais dos frutos de camu-camu in natura, e ainda analisar a viabilidade de exportação da fruta, através de simulações em laboratório das condições em que o fruto será submetido durante o transporte. Serão utilizados três tipos de embalagens, PVC (policloreto de vinila), polietileno de baixa densidade (PEBD) e polietileno de alta densidade (PEAD), em que ficarão acondicionadas em caixa de papelão paletizável, com as dimensões de 30 x 50 x 17,5 cm. As embalagens serão armazenadas inicialmente por quinze dias a 5±1°C, a fim de simular o tempo de transporte marítimo para Rotterdam (principal porto da Europa). Após esse período, as embalagens serão armazenadas em outras três temperaturas diferentes, que serão elas 7°C, 10°C e 15±1°C, e armazenadas por mais sete dias, visando simular o tempo de comercialização no local de destino, onde geralmente ocorrem variações de temperatura. Os frutos serão analisados quanto à atividade respiratória, produção de etileno e características físicas e químicas: perda de massa fresca, coloração da casca e da polpa, firmeza da polpa, sólidos solúveis, acidez titulável e ácido ascórbico, teores de antocianinas totais e a incidência de podridões. O delineamento estatístico será inteiramente casualizado, em esquema fatorial, com quatro repetições de 20 frutos por tratamento. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
OLIVEIRA, Jacqueline de. Estudo da viabilidade de embalagens e temperaturas de armazenamento na qualidade pós-colheita de camu-camu [Myrciaria dubia (H.B.K.) Mc Vaugh]. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.