Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do papel do fator de transcrição AP-1 na gênese da hipernocicepção inflamatória e neuropática

Processo: 11/09893-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia
Pesquisador responsável:Sérgio Henrique Ferreira
Beneficiário:Rafael Poloni
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Citocinas   Inflamação

Resumo

A Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) atribui à dor uma experiência emocional e sensorial desagradável associada a uma lesão tecidual real, potencial ou descrita em termos de tal lesão. Quando de origem inflamatória, a dor pode ser considerada como o resultado da interação entre o tecido danificado e os neurônios sensoriais nociceptivos periféricos. Por outro lado, a dor neuropática pode ser causada por quaisquer lesões no sistema somatossensorial. Nestes tipos de dores, alterações plásticas ao longo de todo o sistema sensorial nociceptivo estão associadas à cronificação do processo doloroso. A plasticidade observada é resultante da indução e/ou repressão de diversos genes, os quais são modulados pela ativação de diferentes fatores de transcrição. Um dos principais fatores de transcrição até então conhecidos é a proteína ativadora-1 (AP-1), que está relacionado com a regulação de uma variedade de processos celulares, tais como proliferação, crescimento, diferenciação, apoptose e migração celular. No entanto, o papel do AP-1 na indução e manutenção de processos dolorosos crônicos ainda não está bem estabelecido. Através de experimentos comportamentais, juntamente com técnicas de biologia molecular, o presente projeto tem como objetivo principal testar a hipótese de que a ativação do fator de transcrição AP-1 desempenha um papel crucial na gênese da dor inflamatória persistente e neuropática. Daremos enfoque no possível papel do AP-1 na produção de citocinas pró-inflamatórias em nível medular e gânglio da raiz dorsal, bem como seu possível papel na indução de metaloproteinases 2 e 9, as quais já foram caracterizados como fundamentais para a gênese destes tipos de dores.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
Papel do fator de transcrição AP-1 na hipernocicepção neuropática em camundongos. 2014. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.