Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de tratabilidade de lixiviados de aterros sanitários - ênfase no tratamento consorciado com esgoto sanitário em sistemas aeróbios

Processo: 11/50627-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Jurandyr Povinelli
Beneficiário:Fernanda de Matos Ferraz
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Lodo ativado   Esgotos sanitários

Resumo

O lixiviado de aterros sanitários é uma água residuária poluente e de cor escura, devido à presença de: matéria orgânica retrataria (substâncias húmicas) e biodegradável, sólidos dissolvidos totais (SDT), metais pesados e elevada concentração de amônia. Este projeto objetiva o tratamento do lixiviado, e divide-se em dois subprojetos. O subprojeto 1, que receberá maior ênfase, refere-se ao tratamento consorciado do lixiviado (LIX) com esgoto sanitário (ES), tema pouco discutido na literatura. Serão utilizados reatores de Iodos ativados (LA) em escala de bancada (operação em batelada) e piloto (operação em fluxo contínuo), com proporções volumétricas de LIX em ES variando de 0 a 5%. As mesmas condições operacionais dos LA piloto serão avaliadas em um biofiltro aerado submerso (BAS) piloto operado em fluxo contínuo. Serão utilizadas as seguintes águas residuárias: lixiviados bruto e pré-tratado por air stripping (para remoção da amônia), ES bruto e ES pré-tratado pelo reator anaeróbio compartimentado (RAC) piloto da EESC-USP. O foco do subprojeto 2 é a avaliação da tratabilidade dos lixiviados bruto e pré-tratado com cal (inoculados com lodo aeróbio), em sistemas aeróbios. Os experimentos serão conduzidos em reator de LA em escala de bancada (operação batelada), e nos reatores de LA e BAS em escala piloto e operados em fluxo contínuo. Nos dois subprojetos, será avaliado o possível o acúmulo de metais pesados no lodo aeróbio, verificando-se se esse lodo poderia ser usado na agricultura, conforme especificado na Resolução CONAMA 380/06. O acompanhamento de todo trabalho será orientado por análises físico-químicas e exames microbiológicos, para identificação das condições operacionais. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERRAZ, F. M.; BRUNI, A. T.; POVINELLI, J.; VIEIRA, E. M. Leachate/domestic wastewater aerobic co-treatment: A pilot-scale study using multivariate analysis. Journal of Environmental Management, v. 166, p. 414-419, JAN 15 2016. Citações Web of Science: 8.
FERRAZ, F. M.; POVINELLI, J.; POZZI, E.; VIEIRA, E. M.; TROFINO, J. C. Co-treatment of landfill leachate and domestic wastewater using a submerged aerobic biofilter. Journal of Environmental Management, v. 141, p. 9-15, AUG 1 2014. Citações Web of Science: 19.
CAMPOS, R.; FERRAZ, F. M.; VIEIRA, E. M.; POVINELLI, J. Aerobic co-treatment of landfill leachate and domestic wastewater - are slowly biodegradable organics removed or simply diluted?. WATER SCIENCE AND TECHNOLOGY, v. 70, n. 12, p. 1941-1947, 2014. Citações Web of Science: 7.
FERRAZ, FERNANDA M.; POVINELLI, JURANDYR; VIEIRA, ENY MARIA. Ammonia removal from landfill leachate by air stripping and absorption. ENVIRONMENTAL TECHNOLOGY, v. 34, n. 15, p. 2317-2326, AUG 1 2013. Citações Web of Science: 32.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FERRAZ, Fernanda de Matos. Estudo de tratabilidade dos lixiviados de aterros sanitários: ênfase no tratamento consorciado com esgoto sanitário em sistemas aeróbios. 2014. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Engenharia de São Carlos São Carlos.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.