Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do treino específico na emergência do alcance em lactentes: ensaio clínico randomizado controlado

Processo: 11/01543-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Eloisa Tudella
Beneficiário:Andréa Baraldi Cunha
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/05684-2 - Influência do treino específico na emergência do alcance em lactentes, BE.EP.DR
Assunto(s):Desenvolvimento motor   Lactentes

Resumo

Objetivos: Parte I) Verificar o efeito do treino de curta duração de alcance em lactentes nascidos a termo no período de aquisição da habilidade. Parte II) Conhecer o comportamento de alcance, protocolos de treino de alcance em lactentes a termo e pré-termo e; ajustar esses protocolos de treino de alcance para crianças com paralisia cerebral (PC). Métodos: Na Parte I, foi realizado um estudo randomizado controlado, com 30lactentes a termo, de 3-4 meses de idade (M= 14,0±1.6 semanas de idade), alocados em dois grupos: 1) grupo de treino de alcance, 2) grupo de treino social (grupo controle). Os lactentes foram submetidos a três avaliações (cinemática e qualitativa) na postura reclinada a 45° (até 5 dias após aquisição do alcance): 1) pré-treino, antes da primeira sessão de treino; 2) pós-treino 1, após a primeira sessão de treino, no mesmo dia e; 3) póstreino2: após a terceira sessão de treino, no dia seguinte ao pré- e pós-treino 1. Para realizar o treino de alcance e o treino social, os lactentes foram submetidos a três sessões, uma realizada no primeiro dia, e duas realizadas no segundo dia. Todos os lactentes foram posicionados no colo do pesquisador em reclinado a aproximadamente 45°. O grupo de treino de alcance recebeu 3 atividades de interação com objeto em condição de prática variada seriada (ex: ABC, ABC, ABC) em cada sessão e o grupo treino social não recebeu estímulos em seus membros superiores em cada sessão. Foram consideradas variáveis de caracterização da amostra, frequência total de alcances, ajustes distais (orientação, abertura e superfície de contato das mãos) e variáveis espaço-temporais (duração do movimento, velocidade média, índice de retidão, índice de desaceleração e unidades de movimento). Na Parte II, realizou-se uma revisão da literatura existente sobre: o comportamento do alcance em lactentes com desenvolvimento neurossensoriomotor típico, nascidos prematuros e com PC de 0 a 2 anos de idade; as principais técnicas de avaliação do alcance; os modelos de protocolos de treino de alcance, de efeitos imediatos e de curto prazo, desenvolvidos com lactentes a termo e pré-termos e; formas de como ajustar treinos de alcance para crianças com PC na prática clínica. Resultados: Para Parte I, uma sessão de treino foi eficaz em aumentar o número de alcances e a porcentagem de alcances com mão orientada ventralmente e diminuir a porcentagem de alcances com a mão fechada e dorsal. Além disso, três sessões de treino resultaram em mudanças nas variáveis espaço-temporais (alcances com menor duração e mais fluentes) e maior porcentagem de alcances com a mão orientada verticalmente. Para a Parte II, destaca-se a importância de traçar objetivos imediatos, de curto, médio e longo prazo, planejando as condutas terapêuticas de forma direcionada aos objetivos. Além de utilizar e adaptar os protocolos de treino (efeitos imediatos e de curto prazo) existentes para intervir em bebês com risco e/ou diagnóstico estabelecido de PC, entre outras alterações neurossensoriomotoras. Conclusões: Sessões de curta duração em condição de prática variada seriada foram efetivas em aprimorar o desempenho do alcance, como mudanças no número de alcances, nos ajustes distais e nas variáveis espaço-temporais do alcance. Esses resultados refletem a flexibilidade do desenvolvimento de habilidades percepto-motoras e o importante papel da experiência no aprimoramento do comportamento motor de lactentes. Além disso, direcionar as intervenções aos objetivos funcionais e; utilizar e adaptar os protocolos de treino existentes, podem fornecer a profissionais mais uma ferramenta para intervir em bebês com risco e/ou diagnóstico estabelecido de PC. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Treino de curta duração melhora destreza manual de bebês