Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da atividade antimicrobiana de óleos essenciais de plantas medicinais e aromáticas da CPMA-CPQBA/UNICAMP sobre patógenos da pele

Processo: 11/00241-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Vera Lúcia Garcia
Beneficiário:Rebeka Melo Pansani
Instituição-sede: Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Paulínia , SP, Brasil
Assunto(s):Anti-infecciosos   Propionibacterium acnes   Malassezia   Plantas medicinais   Óleos essenciais   Produtos naturais   Antibióticos   Digoxina

Resumo

Desde os tempos antigos as plantas vêm sendo utilizadas nas sociedades humanas com propósitos terapêuticos, sendo que suas propriedades tóxicas ou curativas foram descobertas pelo homem principalmente enquanto este buscava por alimento. De fato, o conhecimento etnobotânico-farmacológico acumulado ao longo de gerações tem servido como base para o desenvolvimento de fármacos de grande importância, tais como a digoxina, morfina, ácido salicílico e artemisinina. Neste contexto, os metabólitos secundários vegetais apresentam um grande valor do ponto de vista social e econômico e, como exemplo, na década de 80 foram identificados 121 substâncias de origem vegetal, provenientes de 95 espécies, as quais têm sido empregadas como recursos terapêuticos nos países ocidentais (Maraschin & Verpoorte). Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% da população de países em desenvolvimento utiliza práticas tradicionais na atenção primária à saúde e, desse total, 85% fazem uso de plantas medicinais. No Brasil, não se sabe com exatidão o número de pessoas que utilizam as plantas, mas, essa tendência mundial também é seguida. Atualmente, aproximadamente 48% dos medicamentos empregados na terapêutica advêm, direta ou indiretamente, de produtos naturais, especialmente de plantas medicinais que permanecem uma importante fonte para obtenção de fármacos e medicamentos. Assim, devemos considerar a crescente resistência de microrganismos patogênicos aos antibióticos e a necessidade de se encontrar novas substâncias a partir de produtos naturais, como plantas medicinais e seus compostos ativos. Neste contexto, infecções causadas por fungos oportunistas como Malassesia furfur e pela bactéria Propionibacterium acnes têm se tornado desafiadoras devido à resistência aos antimicrobianos conhecidos atualmente. O Brasil é o país com a maior biodiversidade do mundo, contando com um número estimado de mais de 20% do total de espécies do planeta. Ainda, o Brasil, devido a sua fantástica diversidade biológica e dado o valor intrínseco de seus recursos naturais, possui muitas espécies vegetais desconhecidas tanto química, quanto taxonomicamente e potencial para a bioprospecção. Logo, são imprescindíveis estudos que possibilitem traçar o perfil químico e farmacológico dessa riqueza biológica, vista como alternativas promissoras no cuidado primário à saúde do homem. A atividade antimicrobiana de espécies da CPMA - Coleção de Plantas Medicinais e Aromáticas do CPQBA/UNICAMP tem sido estudada nas Divisões de Química Orgânica e Farmacêutica e Microbiologia para diferentes microrganismos. Tais estudos motivaram o desenvolvimento de vários projetos de pesquisas multidisciplinares com a colaboração de pesquisadores de outras Divisões do CPQBA, com objetivo de identificar óleos essenciais, suas frações e compostos ativos com potencial de aplicação como medicamentos naturais com atividade antibiótica. As plantas medicinais têm sido escolhidas com base no uso popular e indicação etnofarmacológica, e podem ser subdivididas em plantas nativas, que apresentam potencial para se tornarem uma matéria-prima de interesse econômico, e plantas exóticas (introduzidas), que já são cultivadas em larga escala no Brasil e em seus países de origem. Apesar dos vários estudos desenvolvidos até o momento, não temos ainda informações sobre a atividade de plantas medicinais da CPMA para o fungo Malassesia furfur (Pityrosporum ovale), associado à foliculite e dermatite seborréica, e sobre a bactéria Propionibacterium acnes, responsável pela acne, o que nos motivou a propor este projeto, ou seja, realização de estudo químico bioguiado pela avaliação da atividade de óleos essenciais de 12 plantas medicinais. (AU)