Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do receptor PPAR alpha na cicatrização de feridas cutâneas induzidas experimentalmente

Processo: 11/02718-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Cristina Ribeiro de Barros Cardoso
Beneficiário:Francielle Rodrigues Guimarães
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Imunopatologia   Cicatrização   Resposta imune   PPAR alfa

Resumo

A cicatrização de feridas cutâneas é um processo multifatorial e complexo onde há a participação de vários tipos celulares e tecidos, sendo dependente de mecanismos sincronizados de reação inflamatória e sinalização celular. Para que seja iniciada é necessário que ocorra uma reação inflamatória previamente à regeneração e reparo tecidual. Durante a reação inflamatória há ativação de fatores de transcrição nuclear tipo PPAR alpha, que podem estar envolvidos na modulação do processo de cicatrização. Contudo, ainda não existe ainda um delineamento preciso do papel deste receptor durante o reparo tecidual. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é estudar do papel do receptor PPAR alpha na cicatrização de feridas cutâneas, focando no potencial terapêutico da utilização de seus agonistas/antagonistas no tratamento de feridas de difícil fechamento. Para tal, camundongos 129/SvEv, fêmeas, selvagens serão submetidos à indução de feridas cutâneas experimentais. Após a avaliação da cinética de expressão de PPAR alpha nas lesões, os animais e as feridas serão tratados por via sistêmica (oral) ou tópica com agonista ou antagonista de PPAR alpha, com o intuito de se verificar o papel deste receptor no fechamento das lesões. Os animais serão eutanasiados em tempos pré-determinados (0, 24, 48, 120 e 240h pós-cirúrgico) e as amostras coletadas serão utilizadas para as análises posteriores. Serão avaliados o infiltrado inflamatório por histopatologia (hematoxilina-eosina para infiltrado inflamatório e azul de toluidina para mastócitos), atividade de mieloperoxidase (MPO) e eosinófilo-peroxidase (EPO) para quantificação de neutrófilos e eosinófilos, respectivamente e citometria de fluxo para avaliação do infiltrado de macrófagos, linfócitos T (CD4+ e CD8+). Além disso, a fibrose tecidual será quantificada após coloração de lâminas com Picrosírius e a expressão gênica das citocinas TGF-beta, IL-6, IL-17, TNF-alpha, IFN-gama e IL-10, das quimiocinas CCL2, CCL3, CCL6, CCL7 e CXCL9, dos receptores de quimiocinas CXCR2 e CCR1, das metaloproteinases MMP2, MMP9, do inibidor TIMP-1 e do fator de crescimento VEGF será avaliada por PCR em tempo real. Finalmente, este estudo servirá como importante ferramenta para o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas para tratamento de feridas de difícil cicatrização, como úlceras de decúbito, queimaduras, reparo tecidual pós-cirúrgico e elucidação de processos cicatriciais desregulados como cicatrizes hipertróficas. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
GUIMARÃES, Francielle Rodrigues. Papel do receptor PPAR alfa na cicatrização de feridas cutâneas induzidas experimentalmente. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.