Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do uso da laserterapia de baixa intensidade na alodinia mecânica,na hiperalgesia orofacial e na expressão de gelatinases no gânglio trigeminal em ratos portadores de inflamação da articulação temporomandibular

Processo: 10/14316-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Christie Ramos Andrade Leite Panissi
Beneficiário:Amanda de Carvalho Desiderá
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia oral   Articulação temporomandibular   Hiperalgesia

Resumo

A sintomatologia da dor é um dos principais estímulos capazes de caracterizar ações nocivas e, portanto, importante mecanismo de defesa. No estudo da dor orofacial, estruturas duras e moles da cabeça, pescoço e face e também intra-orais estão envolvidas. Dentre as afecções músculo-esqueléticas, um grupo importante é caracterizado: as disfunções temporomandibulares. Estas possuem etiologia multifatorial, e atinge cada vez mais indivíduos da sociedade atual. Para o tratamento desta patologia é necessário conhecermos os mecanismos moleculares e fisiológicos envolvidos, pois não são bem caracterizados. Sabemos que a dor promove a ativação de mecanismos, os quais liberam mensageiros fundamentais para a modulação da resposta do hospedeiro, como proteínas e mensageiros inflamatórios gerando a inflamação propriamente dita. Descobriu-se que, durante essa resposta, muitas proteínas, principalmente as denominadas, metaloproteinases da matriz (MMPs), são responsáveis pela reabsorção de colágeno e outras macromoléculas, cuja função é manter a equidade da matriz extracelular. Sabe-se que a atividade das MMPs é regulada por inibidores das metaloproteinases teciduais (TIPMs), controlando o equilíbrio metabólico e estrutural da matriz extracelular. Desde meados da década de 90, tem sido utilizado para tratamento da sintomatologia dolorosa em Odontologia a laserterapia de baixa intensidade. Estudos demonstram que este método possui atividade antiinflamatória colaborando no reparo tecidual. Entretanto, os mecanismos moleculares e fisiológicos envolvidos neste tratamento ainda necessitam ser melhor eluciadados. Considerando os aspectos apresentados, o presente trabalho tem como objetivo avaliar se a laserterapia de baixa intensidade é capaz de promover alteração na expressão das metaloproteinases no gânglio trigeminal em ratos portadores de inflamação na articulação temporomandibular induzida pela administração local de Adjuvant de Freund. Em adição irá ser avaliado se o tratamento com laser de baixa intensidade produz alteração na resposta nociceptiva ao teste da formalina orofacial em ratos com inflamação crônica bilateral da ATM. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
DESIDERÁ, Amanda de Carvalho. Avaliação do uso de laser terapia de baixa intensidade na alodinia mecânica, na hiperalgesia orofacial e na expressão de gelatinases no gânglio trigeminal em ratos portadores de inflamação da articulação temporomandibular. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.