Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos agudos e crônicos dos ácidos oleico e palmítico e do agonista GW9508 na secreção de insulina e no estresse oxidativo da linhagem BRIN-BD11

Processo: 11/04511-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Angelo Rafael Carpinelli
Beneficiário:Eloisa Aparecida Vilas Boas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estresse oxidativo   Ácidos graxos   Secreção de insulina

Resumo

A concentração plasmática de glicose é o principal modulador da secreção de insulina, hormônio produzido e secretado pelas células beta das ilhotas pancreáticas. Porém, outros nutrientes, como ácidos graxos, também são capazes de modular essa secreção, por mecanismos não completamente elucidados. Os efeitos dos ácidos graxos na secreção de insulina e no funcionamento da célula beta são controversos, já que agudamente são capazes de estimular a secreção de insulina e cronicamente podem provocar dessensibilização e até morte celular. A metabolização intracelular dos ácidos graxos através da beta-oxidação é importante via responsável pela estimulação da secreção de insulina por ácidos graxos. Recentemente foi identificado, em células beta pancreáticas, o GPR-40, receptor de membrana acoplado à proteína G ativado por ácidos graxos de cadeia longa, saturados ou insaturados, que representa outra importante via regulatória do processo de secreção de insulina. A produção de espécies reativas de oxigênio por ácidos graxos influencia a secreção de insulina, o estresse oxidativo e o funcionamento normal da célula beta. Pretende-se avaliar neste projeto, os efeitos agudos e crônicos dos ácidos oléico e palmítico e do agonista do GPR-40 GW9508, na secreção de insulina, na produção de espécies reativas de oxigênio (total e mitocondrial) e no estresse de retículo endoplasmático, analisando a via do GPR-40 e a via de metabolização dos ácidos graxos nesses processos. Para tanto, utilizaremos células BRIN-BD11, linhagem celular que possui as mesmas características de síntese e secreção de insulina das células beta normais. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BOAS, Eloisa Aparecida Vilas. Tratamento crônico com ácido palmítico aumenta o conteúdo de superóxido e a apoptose de células BRIN-BD11com participação da NADPH oxidase, sem envolvimento do GPR40.. 2013. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.