Busca avançada
Ano de início
Entree

Morfologia do osso alveolar na região de caninos superiores movimentados para a área de incisivo lateral ausente em pacientes com fissura unilateral enxertada: avaliação por meio da tomografia computadorizada Cone Beam

Processo: 11/04589-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Ortodontia
Pesquisador responsável:Daniela Gamba Garib Carreira
Beneficiário:Marília Sayako Yatabe Ioshida
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Ortodontia corretiva   Enxerto ósseo   Reabilitação bucal   Tomografia computadorizada de feixe cônico

Resumo

A reabilitação oral gold-standard em pacientes com fissuras envolve um enxerto ósseo alveolar, seguido da movimentação dos dentes posteriores para a região do incisivo lateral ausente do lado fissurado. No entanto, há uma carência de dados literários sobre as condições do osso periodontal vestibular e lingual na região dos caninos superiores permanentes movimentados para a área enxertada. O objetivo deste trabalho consiste em avaliar e comparar a morfologia do osso alveolar de caninos permanentes movimentados ortodonticamente para a área da fissura, em osso alveolar enxertado, e comparar os resultados com a morfologia do osso alveolar dos incisivos laterais e caninos permanentes contralaterais, no lado não fissurado. A amostra do estudo será composta por 25 pacientes com fissura transforame ou pré-forame incisivo unilateral, com agenesia do incisivo lateral na área da fissura, e que tenham sido reabilitados com enxerto ósseo alveolar e posterior tratamento ortodôntico corretivo com movimentação do canino superior para a região do incisivo lateral ausente, no lado da fissura. No período de 6 meses a 2 anos após a finalização do tratamento ortodôntico corretivo, serão realizados exames de tomografia computadorizada de feixe cônico no tomógrafo (Isi-Icat Imaging System - Cone Beam) com protocolo de FOV 6mm para maxila, voxel 0,25 por 40 segundos. Na região dos caninos superiores do lado da fissura (grupo experimental) e dos incisivos laterais e caninos do lado não fissurado (grupo controle), serão mensurados pelo método digital: a espessura da tábua óssea vestibular e lingual, em cortes axiais, e o nível da crista óssea vestibular e lingual em relação à junção cemento-esmalte, em cortes parassagitais. Adicionalmente, a presença e a gravidade de deiscências ósseas vestibular e lingual serão analisadas pelo método visual em cortes parassagitais. As medidas lineares obtidas na região dos caninos do lado fissurado e não fissurado serão comparadas por meio do teste t pareado (p<0.05). A comparação entre as medidas lineares obtidas do canino do lado da fissura e o incisivo lateral contralateral será realizada por meio do teste t independente (p<0.05). O teste de Wilcoxon será aplicado para comparar o lado fissurado e não fissurado em relação à presença e gravidade de deiscências ósseas. (AU)