Busca avançada
Ano de início
Entree

Status de ferro em ratos alimentados com rações hiperlipídicas e deficientes em magnésio: contribuição da inflamação sistêmica e do microambiente intestinal

Processo: 11/08895-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Célia Colli
Beneficiário:Alexandre Rodrigues Lobo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição experimental   Intestinos   Ratos   Inflamação   Magnésio   Ferro

Resumo

Obesidade, considerada de origem multifatorial e caracterizada pela expansão do tecido adiposo como resultado de um balanço energético positivo, pode promover quadro inflamatório sistêmico que está envolvido na etiologia de doenças crônicas não-transmissíveis. A deficiência dietética de magnésio (Mg), frequentemente observada em estudos populacionais, é condição que pode contribuir para o estado inflamatório em obesos. Essa condição, por sua vez, pode influenciar de maneira indireta a homeostase de ferro (Fe) nesses indivíduos. O presente projeto apresenta como proposta avaliar a influência do consumo de rações hiperlipídicas e deficientes em Mg no processo inflamatório e a sua repercussão no status de Fe de ratos Wistar, machos e recém-desmamados, alimentados com rações hiperlipídicas e deficientes em Mg. Rações controle e hiperlipídicas (constituídas de mistura de óleo de soja e banha suína), adequadas e deficientes em Mg (60% das recomendações para roedores), serãooferecidas ao longo de 60 dias (tempos 15, 30 e 60 dias). Durante 10 dias antes de cada período, os animais receberão mistura de antibióticos (1 g/L de ampicilina + 0,5 g/L de neomicina) na água, com o objetivo específico de avaliar a influência da microbiota intestinal no processo inflamatório induzido pelo consumo das rações hiperlipídicas e deficientes em Mg. Marcadores de inflamação e de permeabilidade intestinal serão investigados pela interpretação de parâmetros bioquímicos, histológicos e de expressão gênica e relacionados com o status de Fe e genes relacionados com a homeostase de Fe. O presente estudo pretende desta forma, contribuir para o conhecimento dos fatores que possam influenciar a homeostase do Fe na inflamação, particularmente em indivíduos obesos deficientes em Mg, e fornecer subsídios para o desenvolvimento de estratégias nutricionais que visem a melhoria do status de Fe nestes indivíduos.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE CARLI, EDUARDO; LOBO, ALEXANDRE R.; SALES, CRISTIANE H.; TEIXEIRA, PRYSCILA D. S.; SALES, ANA LINA DE CARVALHO C.; COLLI, CELIA. Short-term dietary magnesium restriction lowers spleen iron concentrations in growing rats fed a high-fat diet. LWT-FOOD SCIENCE AND TECHNOLOGY, v. 59, n. 2, 2, SI, p. 1298-1303, DEC 2014. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.