Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do desenvolvimento do sistema nervoso central (SNC) de Camundongos Balb/c expostos à fumaça do cigarro no início do período pós-natal

Processo: 11/08983-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Tania Marcourakis
Beneficiário:Mayara Munhóz de Assis Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil

Resumo

A fumaça do cigarro contém uma mistura de mais de 4.700 substâncias químicas, muitas das quais são tóxicas. Além da exposição direta à fumaça de cigarro, também ocorre exposição ambiental (fumo involuntário ou passivo). Estima-se que 54% a 70% das crianças são expostas a um ou mais fumantes no domicílio. Vale salientar que a exposição passiva à fumaça do cigarro causa elevada morbidade respiratória e mortalidade em crianças dessa faixa etária. O início do desenvolvimento do SNC é considerado um período crítico, pois quaisquer perturbações na seqüência de eventos normais causam efeitos irreversíveis na estrutura e na função dos tecidos. O terceiro trimestre de gestação em humano equivale às duas primeiras semanas de vida pós-natal em roedores, portanto os roedores apresentam considerável desenvolvimento pós-natal do SNC. Esse período caracteriza-se por um rápido crescimento encefálico incluindo arborização dendrítica, crescimento axonal, mielinização, sinaptogênese e maturação da neurotransmissão. Diversos estudos relatam os efeitos farmacológicos da exposição à nicotina nos períodos pré e pós-natal, contudo é necessário elucidar os efeitos das demais substâncias presentes na fumaça do cigarro sobre o desenvolvimento do SNC. Assim, este estudo tem como objetivo esclarecer se a fumaça do cigarro provoca alterações estruturais, bioquímicas e/ou comportamentais no SNC em desenvolvimento de camundongos Balb/c expostos a partir do 3° dia de vida (P3) até o 14° dia (P14) por duas horas diárias. Para tanto será avaliado o processos de sinaptogênese, além de eventuais alterações na atividade locomotora e ansiedade em camundongos em diferentes períodos do desenvolvimento: durante a infância (P15), adolescência (P35) e idade adulta (P65).