Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do microambiente celular nos mecanismos moleculares de resistência a quimioterápicos em modelo de carcinoma mamário humano

Processo: 11/50856-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Luciana Rodrigues Gomes
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08028-1 - CEGH-CEL - Centro de Estudos do Genoma Humano e de Células-Tronco, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):14/21382-1 - Análise da autofagia mediada por chaperona (CMA) na tumorigênese mamária: impacto na transformação maligna e potencial uso como estratégia antitumoral, BE.EP.PD
Assunto(s):Neoplasias mamárias   Cultura celular em 3D   Quimioterapia   Genes p53

Resumo

O câncer de mama é o tipo de neoplasia mais comumente detectada em mulheres de todo o mundo. Dentre as principais ferramentas para o tratamento de tumores mamário, a quimioterapia assume um papel de destaque, por prover aumento significativo da sobrevida dessas pacientes. A doxorrubicina constitui um dos mais potentes agentes quimioterápicos atualmente disponíveis. Muitos são os fatores e mecanismos, identificados em estudos in vitro, associados ao escape de células tumorais aos efeitos citotóxicos gerados por quimioterápicos. Entretanto, muito pouco ainda é conhecida sobre as respostas celulares a quimioterapia em um microambiente mais próximo do contexto tecidual. Muitas evidências suportam o importante papel da matriz extracelular (MEC) e do microambiente multicelular tridimensional na gênese e progressão tumoral. Por meio da dinâmica regulação da citoarquitetura e da expressão gênica, os elementos da MEC podem modular a regulação da resposta de células tumorais a quimioterapia. As culturas celulares de mama em três dimensões (3D) são uma valiosa ferramenta para o estudo do contexto celular 3D na carcinogênese. Este projeto tem como objetivo o estudo da função da MEC e da estrutura tridimensional na resposta de células de carcinoma mamário humano ao tratamento com doxorrubicina. Neste sentido, pretende-se comparar os efeitos deste agente quimioterápico sobre a resposta ao dano no DNA, ciclo e morte celular, em células cultivadas em monocamada sobre plástico e embebidas em membrana basal reconstituível. Dado o critico papel da proteína p53 no efeito de quimioterápicos e na reação celular a lesão no DNA, no presente projeto espera-se também avaliar o papel desse supressor de tumor em um contexto tridimensional. Além disso, por meio de uma análise proteômica, busca-se identificar as moléculas diferencialmente expressas entre células em duas e em três dimensões, responsáveis pelas distintas respostas desses modelos celulares à quimioterapia. (AU)