Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade larvicida in vitro dos compostos curcumina e albendazol contra o nematódeo Toxocara canis.

Processo: 11/09773-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Fernanda de Freitas Anibal
Beneficiário:Gabriel Henrique Gomes Caroccia
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Fitoterapia   Albendazol   Curcumina   Toxocara canis

Resumo

O verme nematelminto Toxocara canis pode causar, em sua forma larval, a Síndrome da Larva Migrans Visceral (SLMV) ou Ocular (SLMO), quando este, acidentalmente, parasita o homem, já que seu hospedeiro etiológico é o cão. As larvas podem migrar para diversos órgãos do corpo, como o fígado, pulmão, cérebro e o coração, podendo gerar lesões nestes locais. Como algumas drogas usadas para o tratamento da SLMV estão favorecendo a resistência de outros helmintos sobre o organismo humano, novas drogas precisam ser estudadas. A fitoterapia, que é o uso de plantas medicinais, é uma alternativa bastante estudada, pois é muito útil devido a sua eficácia aliada a um baixo custo operacional e à facilidade para aquisição das plantas. A curcumina é uma substância extraída da planta Curcuma longa (Zingiberaceae); sendo largamente estudada devido às atividades medicinais já constatadas, inclusive a antiparasitária. Assim, neste estudo iremos avaliar a atividade larvicida contra Toxocara canis in vitro após a exposição à curcumina, e também serão comparados e avaliados os efeitos de um anti-helmíntico convencional, o albendazol, além da associação destes dois compostos. Comparando posteriormente o processo de desenvolvimento destas larvas. A expectativa é que a curcumina possa ser uma boa alternativa para a redução do número de casos de SLMV, ou seja, espera-se que ela cause a morte destas larvas ou a redução da viabilidade das mesmas, consolidando a sua atividade antiparasitária. O estudo avaliará se a associação da curcumina e do albendazol pode gerar aumento no potencial antilarvicida da curcumina.