Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e avaliação de biofertilizantes contendo S0 e bactérias oxidantes de s

Processo: 11/09637-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Fernando Dini Andreote
Beneficiário:Adriano Reis Lucheta
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia agrícola   Fertilizantes biológicos

Resumo

A utilização de fórmulas concentradas de NPK sem S em sua composição, somadas as maiores exportações de nutrientes pelas culturas e redução dos aportes atmosféricos está resultando no aumento de áreas agrícolas deficientes em S no mundo. Uma possibilidade para a reposição de S no solo é a utilização do enxofre elementar (S0). Entretanto, antes de ser absorvido pelas plantas, o S0 deve ser oxidado microbiologicamente até sulfato. A oxidação do S0 sempre esteve associada à espécie Acidithiobacillus thiooxidans, embora uma grande diversidade de microrganismos possua esta capacidade no solo. A taxa de oxidação do S0 é influenciada por variáveis abióticas, mas o principal fator de variação é a diversidade da comunidade microbiana nativa. Durante a tese de doutorado do candidato (Processo FAPESP 2007/06957) foi determinada a taxa de oxidação do S0 com base na produção de sulfato e a diversidade de bactérias oxidantes de enxofre (BOE) e árqueas, através de técnicas dependentes e independentes de cultivo, em três amostras de solos brasileiros. O protótipo de um biofertilizante contendo isolados de BOE, A. thiooxidans e S0, encapsuladas em alginato, foi produzido com sucesso, mostrando potencial para o fornecimento de sulfato na agricultura. O presente trabalho tem por objetivo o aprimoramento do biofertilizante produzido anteriormente através: da prospecção de novas BOE da única reserva de S0 estratiforme brasileira (Siriri, SE); do encapsulamento destas BOE, A. thiooxidans e A. ferrooxidans em microesferas de alginato e alternativamente quitosana; da determinação da taxa de oxidação do S0 "in vitro" e finalmente pela avaliação do desempenho agronômico dos mesmos na nutrição do milho em ensaio de casa-de-vegetação, acompanhada do monitoramento através de qPCR da população de bactérias inoculadas.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.