Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção de óleo de soja utilizando etanol como solvente: determinação experimental de dados de cinética extração

Processo: 11/09543-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2011
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Christianne Elisabete da Costa Rodrigues
Beneficiário:Tatiane Akemi Toda
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Assunto(s):Extração líquido-líquido   Etanol   Óleo de soja

Resumo

O presente projeto de iniciação científica tem como objetivo determinar experimentalmente dados de cinética de extração de óleo de soja utilizando etanol, com ou sem hidratação, sob diferentes condições de temperatura. Além do monitoramento da extração de sólidos solúveis totais com o tempo, este trabalho objetiva o monitoramento da extração de ácidos graxos livres, como composto minoritário de interesse. A soja obtida será caracterizada em termos de umidade, teor de lipídeos, proteína e composição em ácidos graxos livres.O óleo de soja, um dos óleos mais consumidos no Brasil, apresenta na sua forma bruta baixa acidez livre, 0,5 a 1%, se comparado aos outros tipos de óleos vegetais. A análise da cinética de extração se torna importante pelas reações de oxidação que os ácidos graxos podem sofrer, tendo assim um controle das alterações de qualidade de óleos e gorduras tanto durante o processo de obtenção, extração e refino, quanto durante o armazenamento.O hexano, solvente mais utilizado para se obter o óleo de soja por extração sólido-liquido, é um combustível fóssil que apresenta a vantagem de solubilizar totalmente o óleo vegetal, porém, apresenta como principais desvantagens alta toxicidade e baixo ponto de fulgor. Assim, torna-se importante a averiguação de novas tecnologias para a extração de óleos vegetais com a finalidade de aumentar seus índices nutritivos e, ao mesmo tempo, reduzir a agressividade causada ao meio ambiente por meio da técnica tradicional que utiliza o hexano. Sugere-se, desta forma, neste projeto de iniciação científica a utilização do etanol como solvente, pois este é um solvente produzido por via biotecnológica, não gera resíduos tóxicos, é produzido em larga escala no Brasil além de ser facilmente recuperado para reutilização.Além da determinação experimental dos dados de cinética de extração, propõe-se um tratamento matemático dos dados utilizando-se uma fundamentação teórica para determinação da difusividade efetiva dos compostos de interesse. Vale ressaltar que este projeto de pesquisa está associado ao Projeto de Auxílio à Pesquisa nº 2009/17855-3, coordenado pela orientadora da presente proposta. Em adição, este projeto de iniciação científica compreende tópicos pertinentes ao projeto temático BIOEN (n° 2008/56258-8) coordenado pelo Prof. Antonio José de Almeida Meirelles da FEA-UNICAMP.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TODA, TATIANE AKEMI; SAWADA, MIRIAN MEGUMI; RODRIGUES, CHRISTIANNE E. C. Kinetics of soybean oil extraction using ethanol as solvent: Experimental data and modeling. FOOD AND BIOPRODUCTS PROCESSING, v. 98, p. 1-10, APR 2016. Citações Web of Science: 23.
SAWADA, MIRIAN MEGUMI; VENANCIO, LARISSA LOPES; TODA, TATIANE AKEMI; RODRIGUES, CHRISTIANNE E. C. Effects of different alcoholic extraction conditions on soybean oil yield, fatty acid composition and protein solubility of defatted meal. Food Research International, v. 62, p. 662-670, AUG 2014. Citações Web of Science: 29.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.