Busca avançada
Ano de início
Entree

Representações da ditadura militar brasileira nos romances de Milton Hatoum, Caio Fernando Abreu e Bernardo Carvalho.

Processo: 11/10472-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2011
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Literatura Brasileira
Pesquisador responsável:Jaime Ginzburg
Beneficiário:Milena Mulatti Magri
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Autoridade   Trauma   Narrador

Resumo

O objetivo geral da pesquisa é estudar as representações do regime militar em romances brasileiros posteriores à redemocratização. O corpus selecionado constitui-se dos romances Onde andará Dulce Veiga?, de Caio Fernando Abreu, Dois irmãos, de Milton Hatoum, e Os Bêbados e os Sonâmbulos, de Bernardo Carvalho, publicados respectivamente em 1990, 2000 e 1996. Segundo Pinheiro (1991), o autoritarismo que caracterizou o governo militar não se encerra com a reabertura política, sobrevivendo aos novos governos civis eleitos. Interessa-nos investigar a problematização, na literatura, da relação entre narrador e autoridade. Os estudos de Dal Farra (1978) mostram que o narrador, seja ele de primeira ou de terceira pessoa, ocupa um papel central na elaboração de um romance, o que nos permite compreender que a ele é conferido o papel de autoridade narrativa. Diante disso, propomos a investigação sobre a possibilidade de que o narrador sofra alguma alteração em sua concepção em virtude de uma problematização de sua relação com a ideia de autoridade, após a ditadura militar brasileira. Acreditamos que a elaboração de um romance que se utilize da memória fragmentária; da constituição de um narrador testemunha; e da construção de um foco narrativo múltiplo seja uma possível solução estética para este problema colocado entre narrador e autoridade. Tais recursos estéticos encenam uma descentralização do narrador e estão presentes nos romances abordados como corpus de pesquisa. Nestas obras, vemos narradores que recuperam fragmentos do passado para recompor histórias familiares ou pessoais que remetem ao período do governo militar. Estes fragmentos são articulados na construção de uma narrativa alegórica. As alegorias construídas pelos romances serão estudadas a partir do conceito de história e de alegoria em Walter Benjamin (1984; 2005).

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MAGRI, Milena Mulatti. Imagens da ditadura militar brasileira em romances de Caio Fernando Abreu, Bernardo Carvalho e Milton Hatoum. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.