Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da toxicidade, genotoxicidade e mutagenicidade dos inseticidas fipronil e tiametoxam, por meio de técnicas citológicas em sistema-teste de Allium cepa e de expressão gênica e estresse oxidativo em culturas de células de mamíferos

Processo: 11/02511-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marin Morales
Beneficiário:Bruna de Campos Ventura Camargo
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Reação em cadeia da polimerase em tempo real

Resumo

A agricultura é um dos setores que mais promovem contaminação ambiental, por introduzir substâncias tóxicas no meio ambiente. Dentre elas, podem-se citar dois grupos importantes de inseticidas: os neonicotinóides, como o tiametoxam, e os fenilpirazóis, como o fipronil. Testes biológicos de toxicidade, realizados com diferentes metodologias e sistemas-testes, são indispensáveis para a avaliação das reações dos organismos à poluição ambiental, sendo, por isso, indicados para avaliar os efeitos genotóxicos de compostos químicos em geral. Ensaios realizados com cultura de células trazem informações confiáveis e esclarecedoras, em curtos períodos. As linhagens celulares CHO e HTC serão cultivadas e expostas a diferentes concentrações dos inseticidas tiametoxam e fipronil, com o objetivo de avaliar se essas substâncias apresentam efeitos citotóxicos (ensaio de MTT) e genotóxicos (ensaios de expressão gênica: microarranjos de cDNA e PCR em tempo real) nestes organismos testes. Também serão realizados, com estas mesmas células, ensaios para avaliação do potencial antioxidativo dos inseticidas (ensaio de estresse oxidativo). A espécie Allium cepa também é considerada um eficiente organismo padrão para testes de mutagenicidade. Sementes de A. cepa serão submetidas à germinação em diferentes concentrações de tiametoxam, para avaliação dos seus possíveis efeitos citotóxicos (análise de índices mitóticos e morte celular), genotóxicos e mutagênicos (análise de aberrações cromossômicas, em células meristemáticas, e micronúcleos, em células meristemáticas e F1), antes e após períodos de recuperação. Pelo amplo uso do tiametoxam e do fipronil na agricultura brasileira e pelos perigos que estes possam causar na biota exposta, o presente estudo tem como objetivo verificar a genotoxicidade e os mecanismos de ação desses compostos, usando metodologias de expressão gênica e de estresse oxidativo em células de mamíferos, bem como testes de aberrações cromossômicas e de micronúcleos em A. cepa. É importante destacar que o presente projeto permitirá a implantação, no Laboratório de Mutagênese da UNESP - Rio Claro, de 2 novas técnicas que despontam na mutagênese ambiental: PCR em tempo real e microarranjos de cDNA, para avaliar o potencial genotóxico dos inseticidas em células de mamíferos. Isto será possível pela parceria estabelecida entre a supervisora do projeto com o Laboratório de Genética Toxicológica da UEL - Londrina, e com o Instituto de Diagnóstico Ambiental y Estudios del Agua - IDAEA - Espanha.