Busca avançada
Ano de início
Entree

Metazoários parasitos do tamboatá Hoplosternum littorale (Hancock, 1828) (Siluriformes: Callichthyidae) coletados em três diferentes trechos do Rio do Peixe, médio Rio Tietê, SP, Brasil

Processo: 11/01818-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Vanessa Doro Abdallah Kozlowiski
Beneficiário:Carlos Alexandre Alves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade   Zoologia (classificação)   Rio do Peixe

Resumo

O Brasil está entre os países que apresentam a chamada megadiversidade, possuindo uma grande quantidade de espécies animais e vegetais do planeta. Atualmente a biodiversidade dos ecossistemas marinhos e dulcícolas tem sido ameaçada, principalmente por problemas ambientais, resultantes da degradação dos ecossistemas, um exemplo é o trecho do médio rio Tietê, onde a represa de Barra Bonita (SP) concentra praticamente toda a carga de efluentes orgânicos oriundos da região metropolitana de São Paulo, induzindo a eutrofização com a perda da qualidade da água. Nesta bacia hidrográfica localiza-se o rio do Peixe, um dos tributários da represa de Barra Bonita cujas nascentes estão nas encostas da Cuesta de Botucatu, apresentando num gradiente altitudinal, um bom estado de conservação ambiental e qualidade de águas, com uma rica biodiversidade de peixes associada à presença de inúmeras lagoas marginais. Entretanto, na região de sua desembocadura (transição rio/represa de Barra Bonita), constata-se uma drástica mudança das condições limnológicas devido à influência da hiper-eutrófica represa. Nos últimos anos, os parasitos têm sido reconhecidos como importantes componentes da biodiversidade global. Determinar o papel integral dos parasitos nos ecossistemas naturais, identificar os pontos de acesso de alta diversidade parasitária, assim como áreas de baixa diversidade é crucial para o completo conhecimento do funcionamento da biosfera. Desta forma, o principal objetivo deste projeto será diagnosticar qualitativamente as comunidades parasitárias de Hoplosternum littorale (Hancock, 1828) ao longo do gradiente altitudinal de um importante rio sob a influência limnológica da represa de Barra Bonita (médio rio Tietê). (AU)