Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação do nicho das células-tronco imaturas de polpa dentária humana

Processo: 11/02906-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Irina Kerkis
Beneficiário:Camila Fávero de Oliveira
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Polpa dentária   Células-tronco adultas   Células-tronco pluripotentes induzidas

Resumo

As células-tronco imaturas de polpa dentária possuem origem a partir da crista neural. Tem sido demonstrado que essas células têm a capacidade de se diferenciar em tecidos ósseos, adipócitos, neurônios, células da glia, entre outros tipos celulares. Contudo, até o presente momento não é conhecida a localidade dos nichos que abrigam as células-tronco no tecido pulpar. Dessa maneira, a presente pesquisa visa identificar e caracterizar todos os nichos existentes no tecido pulpar, bem como as possíveis influências do gênero e idade. Para isso, serão estudados dentes permanentes e decíduos. Parte amostral desses dentes será designada para protocolo histopatológico, visando determinar alguns eventos histológicos específicos. Outra parte será avaliada inicialmente pela técnica de PCR convencional para genes que codificam para Nanog, Oct3/4, CD29, CD73, CD105, NGFR p75, CD90, vimentina, nestina e fibronectina, sendo os mesmos posteriormente quantificados pela técnica de PCR em tempo real. As polpas serão também avaliadas por imunohistoquímica. Em uma segunda etapa, os tecidos pulpares serão utilizados para obtenção de culturas celulares, sendo estas avaliadas quanto à morfologia celular, o potencial proliferativo, cariótipo, expressão gênica e proteica para pluripotência, além da eficácia na formação de colônia. Na última etapa, as diferenças entre os nichos e as CTIPD de dentes em diferentes idades e gênero serão avaliados. Os resultados serão apresentados na forma de médias obtidas por meio da repetição dos experimentos, sendo esses submetidos à análise de variância e distribuição de normalidade. Após essa análise, os testes mais adequados serão designados para a avaliação final. Todos os testes estatísticos serão considerados em nível de significância pré-determinado de 5%. (AU)