Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise de alterações nos genes VHL e BRF-1 e sua importância clinica no carcinoma de céulas renais tipo células claras

Processo: 11/17352-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Rafael Malagoli Rocha
Beneficiário:Mariana Rezende Alves
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/09148-5 - Análise de alterações nos genes VHL e BRF-1 e sua importância clínica no carcinoma de células renais tipo células claras, AP.R
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular

Resumo

O carcinoma de células renais (CCR) é responsável por 3% das neoplasias malignas do adulto e representa um dos cânceres urológicos mais letais. O carcinoma de células claras (CCRcc) é o mais comum subtipo do CCR, correspondendo a cerca de 75% do total e está associado a perda da função do gene de Von Hippel-Lindau (VHL), um gene supressor de tumores. O produto do gene VHL, pVHL, está implicado no controle dos genes de hipóxia induzida e na regulação do citoesqueleto. O pVHL participa da formação de um complexo ubiquitina ligase E3 chamado VEC que atua na degradação protéica. Este complexo tem vários substratos, incluindo o fator de hipóxia induzida ± (HIF±). o VHL regula a expressão do VEGF através do BRF-1. Ou seja, a manutenção da expressão de VHL estimula alta expressão de BRF-1 (butyrate response factor 1) e, conseqüentemente, baixa expressão de VEGF. Portanto, o objetivo deste trabalho é estudar alterações nos genes VHL e BRF-1 e de sua expressão protéica e de mRNA no CCR tipo células claras e correlacionar tais alterações com defechos clínicos específicos da doença. Para tal, cem casos de carcinomas renais de células claras serão selecionados aleatoriamente dos arquivos do Departamento de Anatomia Patológica do Hospital A C Camargo no período de 2000 a 2009 e do banco de tumores desta mesma instituição. A confirmação diagnóstica será feita pelo H&E e os blocos correspondentes serão resgatados para a confecção de um microarranjo de tecido para estudo imunohistoquímico (IHQ), imuno-fluorescência (IFL) e hibridaçao in situ cromogênica de mRNA (ISH). O tecido congelado destes tumores será utilizado para a extração de DNA e RNA para a realização do seqüenciamento e RT-PCR, respectivamente. Os seguintes dados clínicos dos pacientes serão coletados dos prontuários do hospital: idade, etnia, tamanho do tumor, grau nuclear, grau histológico, status linfonodal, invasão microvascular, estadiamento, presença de metástases e data de início do tratamento, tipo de tratamento, recidiva, local da recidiva, sobrevida livre de doença e tempo de sobrevida. O programa Prism 5 para Windows, versão 5.02, será utilizado para a análise estatística e valores significativos serão considerados quando < 0,05.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)