Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da instabilidade genômica, por meio da organização tridimencional nuclear de telômeros na sindrome mielodisplásica (smd)

Processo: 11/17405-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fábio Morato de Oliveira
Beneficiário:Fábio Morato de Oliveira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/01647-2 - Avaliação da instabilidade genômica, por meio da organização tridimensional nuclear de telômeros, na sindrome mielodisplásica (SMD), AP.JP
Assunto(s):Citogenética   Telômero   Instabilidade genômica   Hematologia

Resumo

A avaliação da instabilidade genômica por meio de estratégias que empregam a reconstituição tridimensional nuclear (deconvolução) representa uma abordagem original em neoplasias do sangue (leucemias, linfomas e síndrome mielodisplásica). As alterações gênicas e teloméricas, em nível cromossômico, podem ser avaliadas por meio do estudo citogenético molecular em células neoplásicas. A análise dos cromossomos ilustra as conseqüências das anormalidades em telômeros, sendo que a origem dessas alterações e seu impacto na instabilidade genômica, com concomitante transformação celular são perguntas a serem respondidas a partir de técnicas que empregam o estudo e quantificação em 3D do núcleo interfásico e suas estruturas subcelulares. Esses dados são independentemente validados com a utilização de métodos que empregam citogenética molecular em cromossomos metafásicos e interfásicos, incluindo cariótipo espectral (SKY) e hibridação in situ quantitativa (qFISH) dos telômeros e genes específicos, respectivamente. Dessa forma, constituem objetivos dessa investigação avaliar e estimar os níveis de instabilidade genômica por meio da disposição, tamanho e freqüência dos agregados teloméricos e dos genes AURKA, AURKB e TP53, utilizando-se os métodos de FISH e deconvolução, em pacientes com síndrome mielodisplásica (SMD), comparados às células de indivíduos sadios. A partir dos dados obtidos será estabelecido um modelo de progressão leucêmica na SMD. Ainda no tocante aos objetivos propostos, a inclusão da nova estratégia que emprega a reconstituição tridimensional nuclear permitirá o estabelecimento de novos projetos com grupos de pesquisa que estudam neoplasias, em células humanas e em modelos animais. Assim, será possível a identificação de novas alterações relevantes ao diagnóstico e prognóstico o que, concomitantemente, permitirá o desenvolvimento de estratégias terapêuticas para a neoplasia em estudo.