Busca avançada
Ano de início
Entree

Análises das expressões da proteína anexina A1 e citocinas pró-inflamatórias mediadas pelo macrófago no processo de nefrotoxicidade causado pelo imunossupressor ciclosporina A.

Processo: 11/10743-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sonia Maria Oliani
Beneficiário:Ayla Blanco Poltronieri
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Macrófagos   Ciclosporinas   Nefrotoxicidade

Resumo

A ciclosporina (CsA) tem sido largamente empregada na prática clínica, tanto para aumentar a sobrevida do enxerto e, consequentemente, do paciente, como também pelo seu baixo custo. No entanto, esse imunossupressor quando administrado de forma crônica pode causar nefrotoxicidade, levando a um processo de fibrose intersticial renal irreversível. O objetivo do nosso estudo será verificar a expressão da proteína anexina A1 e citocinas pró-inflamatórias mediadas pelo macrófago no processo de nefrotoxicidade causado pela CsA. Os fragmentos de tecidos renais de ratos machos Munich-Wistar foram coletados previamente, incluídos em parafina e armazenados no nosso laboratório (experimentos realizados no projeto aprovado anteriormente pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal (CEEA) da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, processo nº 11862005). Nesses experimentos, os animais foram submetidos a tratamentos diários de 21 dias com 7,5 mg/Kg (s.c.) de CsA ou veículo (grupo controle). Um terceiro grupo foi tratado com lipossomos de clodronato por via intraperitoneal (1ml de uma solução 5 mg clodronato/ml lipossomos), cuja ação é a depleção de macrófagos, nos dias -4, 1, 4, 11 e 18 do tratamento com CsA. Os animais foram sacrificados no 4º, 11º e 22º dia de CsA (ou veículo) e os rins retirados e processados histologicamente. No presente projeto, os fragmentos serão seccionados (3 mm) e analisados histopatologicamente para observar a presença e o grau de fibrose intersticial e, imuno-histoquímicamente, para o influxo de macrófagos e as expressões da anexina A1, TNF-± e IL-6. Essa investigação constitui parte do estudo que envolve as análises dos mecanismos envolvidos na gênese da lesão causada pela CsA e das moléculas capazes de modular o processo, cujos resultados podem ser alvos potenciais como agentes terapêuticos.