Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das alterações eletrofisiológicas no EEG de voluntários sadios durante o efeito da ayahuasca

Processo: 11/11341-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 01 de setembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Dartiu Xavier da Silveira
Beneficiário:Eduardo Ekman Schenberg
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/07540-3 - Análise estatística de sinais eletrofisiológicos do cérebro humano durante o efeito da ayahuasca, BE.EP.PD
Assunto(s):Eletroencefalografia   Ayahuasca   Neurociências   Cognição

Resumo

Ayahuasca (Santo Daime, Daime, Vegetal, Hoasca, Yagé ou Yajé) é um chá de plantas amazônicas (Psychotria viridis e Banisteriopsis caapi) rico em dimetiltriptamina, ou DMT (agonista 5HT-2A e ligante endógeno do receptor sigma-1) e contendo também harmina e harmalina (entre outras moléculas inibidoras da MAO-A), atualmente em uso por diversas comunidades no Brasil e no exterior. Quando ingerida, a bebida induz alterações na percepção somática, emocional e sensorial, além de alterar diversos processos cognitivos. Há apenas três estudos publicados em revistas indexadas sobre as alterações neurofuncionais subjacentes aos efeitos da ayahuasca utilizando o eletroencefalograma (EEG). Um foi realizado com apenas dois sujeitos, outro com limitações impostas pela frequência de amostragem e filtragem do EEG, e um terceiro utilizando diferentes doses do chá entre os sujeitos avaliados. De maneira geral, a ayahuasca parece exercer efeito de diminuição da potência de diversas frequências de oscilação cerebral, como teta e alfa, algum aumento em beta e efeitos intrigantes de aumento na potência e/ou na coerência do ritmo gama. O presente estudo visa investigar os efeitos do uso da ayahuasca no EEG sem estimulação sensorial, utilizando número adequado de sujeitos, taxa de amostragem e filtragem apropriadas e comparação com condição placebo. Os participantes serão avaliados antes e durante o efeito agudo do chá com registro de atividade cerebral pelo EEG. Mudanças de potência e coerência serão analisadas com técnicas robustas de análise não paramétrica por clusters, em várias faixas de frequência. Os sujeitos também serão avaliados por diversas escalas psicológicas para medir as alterações subjetivas aos efeitos psicológicos do chá.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SCHENBERG, EDUARDO EKMAN; MOREL ALEXANDRE, JOAO FELIPE; FILEV, RENATO; CRAVO, ANDRE MASCIOLI; SATO, JOAO RICARDO; MUTHUKUMARASWAMY, SURESH D.; YONAMINE, MAURICIO; WAGUESPACK, MARIAN; LOMNICKA, IZABELA; BARKER, STEVEN A.; DA SILVEIRA, DARTIU XAVIER. Acute Biphasic Effects of Ayahuasca. PLoS One, v. 10, n. 9 SEP 30 2015. Citações Web of Science: 20.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.