Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da obesidade sobre a inflamação e remodelamento pulmonar na sepse

Processo: 11/13040-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Thais Martins de Lima Salgado
Beneficiário:Thais Pineda Fungaro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pulmão   Sepse   Obesidade

Resumo

A sepse é uma doença grave, com alto índice de incidência nas UTI, sendo uma das principais causas geradoras de custos dos setores de saúde públicos e privados. Infelizmente a mortalidade não tem se modificado nas últimas duas décadas apesar do desenvolvimento de novos antibióticos e aprimoramento de medidas de tratamento intensivo. Além dos problemas já conhecidos no tratamento desta doença, somam-se atualmente o aumento da incidência de obesidade na população em geral, e também na de pacientes críticos. Os indivíduos obesos são mais suscetíveis a complicações médicas, incluindo hipertensão, diabetes mellitus tipo 2, doenças cardiovasculares e doenças pulmonares. Estudos têm demonstrado uma maior incidência de doenças pulmonares em obesos, devido a alterações na mecânica pulmonar e a inflamação sistêmica crônica nestes pacientes. O pulmão é um dos primeiros órgãos afetados na sepse, e a perda de função deste órgão piora o prognóstico do paciente com sepse, podendo estar relacionado com o aumento da permanência na ventilação mecânica e de internação dos pacientes obesos sépticos. Uma vez que o numero de indivíduos com sobrepeso e obesos tende a crescer no futuro, mais pesquisas são necessárias para determinar se a resposta inflamatória e a suscetibilidade dessa população a infecções do trato respiratório são diferentes dos indivíduos com peso normal.Embora alguns mecanismos envolvidos no dano pulmonar durante a sepse estejam descritos, como alta infiltração de neutrófilos, produção de citocinas e depósito de colágeno, não está esclarecido o papel da obesidade nas complicações pulmonares. Por esse motivo estudaremos as alterações pulmonares decorrentes da sepse induzida em camundongos normais e obesos. Utilizaremos um modelo de obesidade induzido por dieta para melhor mimetizar a obesidade desenvolvida por humanos. Avaliaremos o edema pulmonar, produção de citocinas e adipocinas no plasma, pulmão e lavado alveolar e a deposição de colágeno após 6 e 24 horas da injeção de LPS. Estudaremos também expressão gênica de mediadores pró-inflamatórios pelo pulmão e de enzimas relacionadas com o remodelamento tecidual (MMP2 e MMP9).