Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento dè Sistemas e Serviços de Saúde odontológica Èm interface com saúde mental

Processo: 11/18124-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de maio de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Marina Helena Cury Gallottini
Beneficiário:Barbara Kahlau
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:07/55252-3 - Desenvolvimento de sistemas e serviços de saúde odontológica em interface com saúde mental, AP.PP
Assunto(s):Saúde mental   Interações de medicamentos

Resumo

Este projeto de políticas públicas teve 2 fases. O resultado da primeira fase revelou que o fluxo de atendimento odontológico e o tipo de tratamento oferecido aos pacientes com doença psíquica, pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e pelos Centros de Especialidade Odontológicas (CEO) no município de São Paulo, não seguem uma padronização. Na segunda fase desse projeto, objetivamos traçar e executar um fluxo "ideal" de atendimento odontológico do paciente com doença psíquica, estabelecendo e padronizando o mínimo de fundamentos para futuras estratégias de políticas públicas mais inclusivas e efetivas. Para alcançarmos nossos objetivos e melhorarmos a interface entre a Saúde Mental e a Odontologia, buscaremos o fortalecimento das relações entre dentistas, psicanalistas e psiquiatras, para fortalecer o compromisso de traçar condutas que facilitem a colaboração do paciente e conseqüentemete aumente o seu acesso ao tratamento odontológico. Além disso, esse trabalho conjunto promoverá o entendimento, por parte do dentista, da doença psíquica, suas implicações na saúde bucal e sua repercussão no manejo clínico do paciente. Por outro lado, aumentará o conhecimento, por parte dos profissionais não dentistas, da importância da saúde e conforto bucal na qualidade de vida do indivíduo com doença mental. A metodologia deste estudo incluirá: o levantamento das alterações bucais e não bucais de importância odontológica, encaminhamento dos pacientes para tratamentos odontológicos eletivos e emergenciais, preparo dos profissionais não dentistas, que convivem com o paciente com doença mental, em relação à prevenção e detecção de doença bucal e apoio de psicanalistas e psiquiatras ao dentista no planejamento e tratamento odontológico propriamente dito. Esse tratamento será adequado à condição sistêmica do paciente e poderá, quando necessário, ser realizado sob sedação profunda, nas dependências do Centro de Atendimento a Pacientes Especiais, com a presença de médicos anestesistas. Antes e ao final do tratamento serão avaliados o grau de satisfação e a qualidade de vida dos pacientes. Para desenvolver esta fase do projeto fomos contemplados com 3 bolsas de treinamento técnico, sendo 2 TT-3, 20 horas, e uma TT2. Desta forma contaremos com um profissional cirurgião dentista, um psicanalista e um técnico de enfermagem. O bolsista cirurgião dentista especialista em odontologia para pacientes com necessidades especiais será treinado e orientado pelo coordenador deste projeto, Marina Gallottini. Este bolsista trabalhará junto ao Centro de Atenção Psicossocial (CAPS Butantã), parceira para esta segunda fase, realizando a triagem dos pacientes com doença mental quanto à necessidade e urgência de tratamento odontológico, o que auxiliará no estabelecimento do perfil deste paciente e estabelecimento de critérios de encaminhamento. Além disso, auxiliará no tratamento odontológico dos pacientes triados, no Centro de Atendimento a Pacientes Especiais. Por fim, esse bolsista, participará do treinamento do pessoal não dentista que trabalha na CAPs a fazer prevenção e detecção precoce de doenças bucais, especialmente cárie e doença periodontal. O bolsista auxiliar de enfermagem auxiliará nos procedimentos relacionados à execução da sedação profunda ambulatorial. Isso inclui a monitorização dos pacientes com doença mental, até sua alta do ambulatório odontológico, a coleta de sangue para exames prá cirúrgicos, aferição de glicemia e pressão arterial, esterilização e organização dos materiais e equipamentos envolvidos na sedação. O bolsista psicanalista deverá ser selecionado pela parceira Oficina de Psicanálise Lacaniana, organização não governamental, envolvida no projeto, e propiciará um acervo básico, que assessore a conduta clínica do dentista junto ao paciente com determinada doença mental, fazendo com que este profissional se familiarize mais facilmente com esse tipo de patologia.