Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações vocais acústicas relacionadas ao processo de senilidade da voz

Processo: 11/10683-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Regina Helena Garcia Martins
Beneficiário:Flávia Canale Cabral
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Idosos   Otorrinolaringologia   Voz   Presbifonia

Resumo

1. Introdução Dados pidemiológico do Brasil mostram aumento da expectativa de vida e redução da taxa de natalidade, o que resulta em maior número de idosos no país. Estima-se que em 2020 a expectativa de vida seja de 70,3 anos, correspondendo a uma população de idosos de 30 milhões de pessoas. Além disso, os idosos se mostram cada vez mais independentes e atuantes. Em vista disso, são necessários maiores investimentos em diversas esferas referentes ao grupo. Na área da saúde, o conhecimento das doenças mais prevalentes na faixa etária é imperativo para propor medidas preventivas e tratamentos mais eficazes, garantindo a esses indivíduos melhor qualidade de vida.A presbifonia é o processo natural de envelhecimento da voz. Diversas alterações na estrutura laríngea fazem parte desse processo, por exemplo atrofia muscular, calcificação das cartilagens, diminuição das junções neuromotoras, diminuição das glândulas mucosas e diminuição dos componentes da matriz extracelular da lâmina própria. Na senilidade, a voz do homem torna-se mais aguda e a da mulher mais grave. Tais alterações na freqüência fundamental associam-se ao tremor e instabilidade da emissão. A presbifonia pode culminar com a interrupção antecipada das atividades profissionais e de lazer, sendo importante seu estudo visando sua prevenção.2. Objetivos Avaliar as características vocais acústicas relacionadas à senilidade.3. Casuística e MétodosApós aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos da Faculdade de Medicina de Botucatu (protocolo 3674-2010), serão convidados a participar do estudo 45 idosos na faixa etária de 60 a 90 anos os quais deverão assinar um termo de consentimento livre e esclarecido. Estes serão subdivididos em 3 grupos: entre 60 a 7 anos,. 71 a 80 anos e 81 a 90 anos, contendo 15 indivíduos em cada um, havendo homogeneidade entre os generos. Após preenchimento de formulário voltado à pesquisa (contendo dados de identificação, hábitos e vícios, tratamento de doenças respiratórias, neurológicas, metabólicas, gastrointestinais, auto-imunes, dermatológicas, medicamentos em uso, sintomas vocais e auditivos), serão submetidos à análise vocal perceptiva (escala GRBASI), anlaise vocal acústica computadorizada (programa MDVP- Speech 3700 (Kaypentax), com registro dos seguintes parâmetros: Freqüência Fundamental(fo), Porcentagem de Jitter, PPQ - Pich Perturbation Quotient, Porcentagem de Shimmer, APQ - Amplitude Perturbation Quotient, NHR - Noise Harmonic Ratio, SPI - Soft Phonation Index.Os voluntários serão também submetidos à avaliação da acuidade auditiva (audiometria tonal limiar- Audiômetro Amplaid e timpanometria) e aos exames de videolaringoscopia. Para esta finalidade, será utilizado telescópio rígido (Asap), 70º, 8mm acoplado a um sistema multifunctional (video system type XE-30, Eco X -TFT/USB - Alemanha) e a uma fonte estroboscópica (Atmos), com registro de imagem em DVD.Serão excluídos os voluntários com comorbidades que possam comprometer as qualidades vocais como tabagismo, doenças auto-imunes, respiratórias, neurológicas ou surdez profunda. Será incluído um grupo controle(GII) composto por voluntários de 30 a 50 anos, sem sintomas vocais, de ambos os sexos, que obedecerá aos mesmos critérios de exclusão do grupo de idosos e serão submetidos à mesma sequencia de avalições do grupo amostral.Os resultados obtidos em ambos os grupos serão expressos em tabelas e gráficos e receberão análise estatística. 4.Metodologia estatísticaAs amostragens obtidas da análise quantitativa serão expressas como média ± DS e serão avaliadas de acordo com a distribuição das alterações morfológicas dos pacientes e dos controles. A análise descritiva será demonstrada pelo teste de ANOVA, que será aplicado para se verificar as diferenças entre os grupos. Quando necessário, será utilizado o teste de Turkey aplicado para se identificar às diferenças entre as medidas. O p de significância será estabelecido em d 0.05.