Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do potencial de diferenciação de células-tronco mesenquimais derivadas do tecido do cordão umbilical entre amostras do sexo masculino e feminino

Processo: 11/15474-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Mayana Zatz
Beneficiário:Gabriela Polster
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Células-tronco

Resumo

Células-tronco são definidas pela sua capacidade de auto-renovação e diferenciação em múltiplos tipos celulares. Podem ser classificadas, de acordo com seu potencial de diferenciação. Estas células possuem origem tanto adulta como embrionária. As células-tronco embrionárias são derivadas da ICM do blastocisto, já as fontes adultas destacam-se o cordão umbilical, a medula óssea, polpa dentária, tecido adiposo, dentre outros. A medula óssea tornou-se uma das fontes mais estudadas e utilizadas e sabemos que nesta fonte encontramos tanto células-tronco hematopoiéticas (CTHs) como células-tronco mesenquimais (CTMs). Outra fonte muito utilizada para terapia celular é o sangue do cordão umbilical, em que o tecido é geralmente descartado após o parto. Nosso grupo comparou a eficiência do isolamento e a origem das CTMs do sangue e do tecido do cordão umbilical (human umbilical cord tissue mesenchymal stem cells - hUCT MSC) do mesmo doador e observamos que não o sangue, mas sim o próprio cordão, o qual é rotineiramente descartados durante a coleta de células-tronco, é a fonte mais rica em CTMs. As células-tronco mesenquimais podem ser utilizadas em diversas terapias, como regeneração óssea, enxertos faciais, reconstrução de cartilagem, diabetes. A influência do sexo é uma variável muitas vezes esquecida, porém relevante já que é notável como o sexo influencia na expectativa de vida e disposição para doenças. Visando diminuir estas variáveis escolhemos como fonte para comparação entre células de diferentes sexos as CTM de cordão umbilical, visto que estas são obtidas em condições semelhantes e na mesma fase de vida do indivíduo.