Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação da ação e sinalização de insulina em amígdala de animais controles e obesos: efeitos na ingestão alimentar, ansiedade, via inflamatória e stress de retículo endoplasmático

Processo: 11/17673-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Patrícia de Oliveira Prada
Beneficiário:Maria Fernanda Condes Areias
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Amígdala   Endocrinologia   Insulina   Ansiedade   Ingestão de alimentos   Tonsila do cerebelo

Resumo

A obesidade vem crescendo de forma exponencial em todo o mundo. Portanto, o estudo dos mecanismos moleculares relacionados ao desenvolvimento da obesidade é de extrema relevância na atualidade. A insulina tem efeitos anorexigênicos, reduzindo o peso corporal. Entretanto, a maior parte dos estudos teve como foco a ação e sinalização de insulina no hipotálamo. Estudos recentes têm demonstrado que a insulina tem efeitos diretos em outras regiões do sistema nervoso. Assim, o primeiro objetivo do trabalho é investigar a expressão e grau de fosforilação das proteínas da via de sinalização de insulina (IR/IRS/PI3q/Akt/Foxo1), assim como a modulação da ingestão alimentar após estímulo com insulina na região da amígdala em animais controles. No segundo objetivo do estudo, investigaremos se o bloqueio farmacológico da via da insulina com LY24002 na amígdala pode alterar a ingestão alimentar em resposta à insulina. A amígdala é uma região cerebral importante para o controle da ansiedade. Entretanto o papel da insulina nos mecanismos neurais do controle da ansiedade na região da amígdala ainda não foi determinado. Nessa linha, o terceiro objetivo do estudo é investigar se a injeção de insulina na amígdala de animais controles altera a ansiedade que será medida pelos testes: Elevated Plus Maze (labirinto em T elevado) ou Open Field Test (teste em campo aberto). O consumo de dieta hiperlipídica tem sido associado à resistência à insulina no hipotálamo pela ativação da via inflamatória IKK/IkB/NFkB e pelo aumento do stress de retículo endoplasmático (ER stress). Entretanto, não há ainda evidências de que a obesidade possa induzir resistência à insulina na amígdala. Assim, o quarto objetivo do estudo é investigar se a obesidade induz resistência à insulina nessa região. Se este evento ocorrer, investigaremos no quinto objetivo do trabalho se a via inflamatória IKK/IkB/NFkB e o ER stress estão alterados em amígdala de animais obesos.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.