Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade de Drosophilidae (Diptera, Schizophora) em um fragmento de Floresta Atlântica Semidecídua, em Sertãozinho, SP

Processo: 11/08519-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Vera Cristina Silva
Beneficiário:Gabriela Pirani Ignácio
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Diptera   Drosophilidae   Zoologia (classificação)   Biodiversidade

Resumo

A grande cobertura florestal conhecida como Floresta Atlântica estendia-se, até o século XIX, ao longo da costa brasileira, ocupando uma faixa ampla entre as latitudes 3º e 33ºS, com aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados de superfície. Desenvolvendo-se sobre uma grande variedade de solos e relevos, com características geológicas e geomorfológicas muito diversas, a Floresta Atlântica ainda abriga uma enorme diversidade biológica. Este projeto de Iniciação Científica insere-se em um projeto maior, financiado por esta Fundação (Proc. 2009/ 54.497-8), que tem por objetivos conhecer e caracterizar a fauna de dípteros (Insecta: Diptera) de um fragmento de Floresta Atlântica Semidecídua, em Sertãozinho, SP, com relação à sua diversidade e riqueza de espécies, testando a hipótese de que os elementos de Diptera em Matas Mesofoliáceas Semidecíduas correspondam a elementos endêmicos, separados da diversidade da Floresta Atlântica na Serra do Mar. Para isso, estão sendo realizadas coletas padronizadas de exemplares de dípteros utilizando dois tipos de armadilha, além de varredura com rede entomológica, em coletas quinzenais, ao longo de dois anos. Inserindo-se nesse contexto, o presente projeto tem como objetivo analisar a diversidade de Drosophilidae nesse mesmo local. Outro objetivo é a formação científica da aluna, através da participação nos vários estágios de um Projeto Científico, desde seu desenho, coleta e análise de dados, elaboração de relatório final, apresentação em reunião científica e publicação dos resultados. (AU)