Busca avançada
Ano de início
Entree

Migração e invasão tumoral mediadas pelo gene RECK em linhagens de melanoma metastático humano

Processo: 11/18142-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Silvya Stuchi Maria-Engler
Beneficiário:Taissa de Mattos Faria
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Melanoma   Biologia molecular   Superexpressão gênica

Resumo

O melanoma é a forma mais agressiva de câncer de pele e representa a maior causa de morte por esta doença, principalmente em adultos jovens. A resistência deste tumor a maior parte das drogas antitumorais tem sido um enorme desafio para a comunidade científica, o que fez com que se tornasse necessário o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas. A resistência a morte por apoptose em resposta à quimioterapia e outros estímulos externos permitem uma vantagem seletiva para progressão tumoral, formação de metástase e resistência à terapia. O melanoma acumula uma série de alterações na expressão gênica que contribuem para a proliferação descontrolada, evasão de senescência e inibição de morte celular em múltiplas rotas intracelulares. O gene RECK, objeto deste estudo, possui características importantes em toda progressão tumoral. Trata-se de uma proteína ancorada à membrana citoplasmática capaz de regular negativamente as metaloproteinases (MMPs). As MMPs degradam a matriz extracelular, contribuindo para a formação de um microambiente favorável ao crescimento tumoral e à metástase. O gene RECK está presente em diferentes tecidos humanos normais, porém, ao se analisar a sua expressão em diversas linhagens tumorais, nota-se que a mesma é baixa ou não é detectada. Quando RECK é superexpresso em diferentes linhagens de células malignas, a secreção de MMPs é reduzida e a capacidade invasiva e metastática é suprimida, o que indica a correlação inversa entre a expressão de RECK e a invasão e metástase tumoral. Assim, este trabalho pretende avaliar os efeitos de RECK em linhagens de melanomas metastáticos humanos a fim de avaliar parâmetros envolvidos em migração e invasão celular.