Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da droga vegetal Pfaffia paniculata cómo adaptógena e antiinflamatória intestinal

Processo: 11/50847-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacognosia
Pesquisador responsável:Luiz Claudio Di Stasi
Beneficiário:Celso Acácio Rodrigues de Almeida Costa
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52237-9 - Fitoterápicos padronizados como alvo para o tratamento de doenças crônicas, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Neuroimunomodulação   Doenças inflamatórias intestinais   Camundongos   Pfaffia paniculata

Resumo

A Pfaffia paniculata (Mart) Kuntze (ginseng brasileiro) é uma planta medicinal usada como tônico, revigorante, fortificante, antiestresse, afrodisíaco e "bom para memória". Juntamente com outros ginseng, a espécie compõe um grupo específico de plantas denominadas adaptógenas, definidas como produtos capazes de aumentar a resistência não-específica do organismo frente a diferentes estímulos estressores. A espécie P. paniculata apresenta em sua composição química uma série de compostos como ácido fáfico, as saponinas nortriterpênicas derivadas no ácido fáfico (fafosídeos A, B, C, D, E e F), os ecdisteróides e fito esteróis, quimicamente associados aos ginsenosídeos, compostos responsáveis pela atividade adaptógena dos diferentes ginseng. No entanto, diferentemente de outras espécies de "ginseng" os estudos com a espécie Pfaffia paniculata são bastante escassos, especialmente considerando-se a extensão de seu uso no Brasil e também como produto de exportação para países asiáticos. Considerando-se a definição de adaptógenos é previsível que tais compostos também sejam úteis no controle e prevenção de doenças na qual o estresse é fator etiológico, como é o caso da Doença Inflamatória Intestinal (DLL). Assim, os objetivos são 1. Avaliar se a P. paniculata possui atividade adaptógena e 2. analisar a potencialidade da mesma em atuar como produto com atividade antiinflamatória intestinal. Para tal serão realizados estudos da atividade adaptógena (tempo de exaustão, resposta a estresse físico e psicogênico com quantificação de lesões gástricas, dosagens de ACTH e corticosterona), atividade antiinflamatória intestinal no modelo de inflamação induzida por ácido trinitrobenzenosulfônico (TNBS) em ratos via avaliação clínica, macroscópicas e microscópicas de lesão, bioquímicas (MPO, FA, GSH, TNF-α, IL-ß e IL-10) e moleculares (expressão de HSP70 e heparanase), além de estudos comportamentais (testes da caixa claro/escuro, suspensão da cauda e barra giratória) e de toxicidade visando a segurança de uso. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COSTA, C. A. R. A.; QUAGLIO, A. E. V.; DI STASI, L. C. Pfaffia paniculata (Brazilian ginseng) extract modulates Mapk and mucin pathways in intestinal inflammation. Journal of Ethnopharmacology, v. 213, p. 21-25, MAR 1 2018. Citações Web of Science: 2.
COSTA, C. A. R. A.; TANIMOTO, A.; QUAGLIO, A. E. V.; ALMEIDA, JR., L. D.; SEVERI, J. A.; DI STASI, L. C. Anti-inflammatory effects of Brazilian ginseng (Pfaffia paniculata) on TNBS-induced intestinal inflammation: Experimental evidence. International Immunopharmacology, v. 28, n. 1, p. 459-469, SEP 2015. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.