Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação dos efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes de diferentes terapias intra-articulares para osteocondrose em equinos

Processo: 11/51219-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2011
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Raquel Yvonne Arantes Baccarin
Beneficiário:Thais Sodre de Lima Machado
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Osteocondrose   Plasma rico em plaquetas   Equinos

Resumo

As doenças articulares estão entre as principais afecções que acometem os eqüinos atletas. A utilização de antagonistas naturais ou análogos sintéticos que impeçam a progressão do processo degenerativo e que atuem na recuperação da homeostase articular vem sendo cada vez mais discutida não só para uso em eqüinos, como também em outros animais domésticos e humanos. Este estudo tem como objetivo comparar modalidades terapêuticas com efeito anti-inflamatório e anti-oxidante, incluindo plasma rico em plaquetas (PRP), proteína antagonista de receptor de IL-1 (IRAP II®), plasma autólogo (PA), ácido hialurônico (AH) e associação de AH com plasma autólogo (AH+PA), em células de liquido sinovial (LS) desafiadas por LPS in vitro e no restabelecimento da homeostase articular de cavalos acometidos por OCD in vivo. Inicialmente, amostras de LS de 12 articulações tibio-társicas saudáveis serão colhidas em duas fases do experimento. Na primeira fase (avaliação anti-inflamatória), o pool celular formado será colocado em cultivo e submetido aos tratamentos. O sobrenadante será coletado 24 e 48 horas após a adição de LPS para determinação de prostaglandina E2 (PGE2), interleucina-1 (IL-1), antagonista do receptor de IL-1 (IL-ra) e fator de necrose tumoral-α (TNFα). Na segunda fase serão avaliados os efeitos anti-oxidantes dos diferentes protocolos terapêuticos sobre as células do LS desafiadas por LPS por meio da determinação da explosão oxidativa celular. Em etapa final os efeitos anti-inflamatórios dos tratamentos serão avaliados in vivo, onde 36 articulações com OCD na articulação tíbio-társica serão divididas em seis grupos, de acordo com o tratamento intra-articular administrado (PRP, IRAP II®, PA, AH, AH+PA e controle) logo após procedimento artroscópico. O LS será colhido previamente a artroscopia e 48 horas após, para análise física, teste do precipitado de mucina, contagem celular, dosagem da proteína total, dosagem do AH e condroitim sulfato e quantificação dos níveis de PGE2, TNF, IL1 e ILra. (AU)