Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da tributirina, pró-droga do butirato, sobre o processo inflamatório e a regeneração do músculo esquelético após lesão por laceração

Processo: 11/12089-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2011
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Ramirez Vinolo
Beneficiário:Vitor da Silveira Alves
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema musculoesquelético   Músculo esquelético   Citocinas   Inflamação   Metabolismo

Resumo

A lesão muscular esquelética é um evento comum na prática desportiva e em pacientes politraumatizados. Durante a regeneração do tecido muscular há o recrutamento de leucócitos, particularmente, neutrófilos e monócitos/macrófagos, e produção e liberação de moléculas pró-inflamatórias como o fator de necrose tumoral-± (TNF-±), interleucina-1² (IL-1²) e eicosanóides, os quais controlam a ativação, proliferação e diferenciação de células tronco musculares (células satélites). A tributirina (pró-droga do butirato) tem importantes ações sobre o processo inflamatório e a proliferação e diferenciação de células tronco musculares. No presente projeto nos propomos avaliar o efeito da tributirina sobre o processo de regeneração do músculo esquelético em ratos. Para tanto, induziremos lesão no músculo tibial anterior pelo método de laceração. Após a lesão, os animais serão tratados com tributirina (2,0 g/Kg por via oral) pelo período de até 28 dias. A análise do processo de regeneração do tecido muscular esquelético será feita por avaliação de parâmetros funcionais do tecido, dentre eles a força muscular desenvolvida após aplicação de potencial de elétrico, e por análise histológica. Nesse modelo ainda avaliaremos a produção de mediadores inflamatórios e recrutamento de leucócitos para o músculo esquelético.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.