Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação do equilíbrio e força de preensão palmar entre idosos ativos e sedentários

Processo: 11/20077-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Marcos Eduardo Scheicher
Beneficiário:Dayane de Oliveira Macedo
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Força muscular   Exercício físico   Força de preensão palmar   Força da mão

Resumo

Introdução: O aumento da expectativa de vida e da longevidade da população mundial proporcionou um aumento no número idosos. O envelhecimento humano caracteriza-se por um processo natural e irreversível provocando uma perda estrutural e funcional progressiva do organismo. A prática de exercícios físicos regularmente, é eficaz para a minimização das perdas inerentes ao envelhecimento, e tendo em vista tais melhorias, políticas de promoção da saúde do idoso estão sendo cada vez mais implantadas, visando o envelhecimento de forma ativa. São poucos os estudos sobre influência da força de preensão palmar relacionado ao equilíbrio de idosos praticantes de exercícios físicos, sendo ainda mais escassos estudos com idosos que pratiquem um esporte específico. Objetivo: Estimar e comparar a força de preensão palmar e a mobilidade dos diferentes grupos de idosos. Metodologia: Serão avaliados 60 idosos, com idade igual ou superior a 60 anos, de ambos os gêneros, separados em: 40 idosos ativos (GA) praticantes de exercício físico e 20 idosos sedentários (GS). Os idosos ativos serão subdivididos em dois grupos: 20 idosos que praticam vôlei adaptado (GVA) e 20 idosos que praticam exercício físico não específico (GEF). Os participantes GVA são provenientes do GREVERMI - Grêmio de Vôlei e Recreação da Melhor Idade. Serão excluídos no estudo voluntários que apresentarem doenças neuromusculoesqueléticas, artrite, problemas visuais não corrigidos e hipotensão postural, idosos em uso contínuo de antidepressivos, sedativos, hipnóticos e estado cognitivo deficiente. O instrumento para avaliar a força de preensão será um dinamômetro hidráulico, que auxiliará na sua mensuração, e a mobilidade será testada por meio do ''Time Up & Go'''. Na análise estatística dos dados serão adotados testes estatísticos apropriados para a comparação das variáveis inter e intra-grupos. Em todos os testes será adotado o nível de significância de p d 0,05. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DAYANE DE OLIVEIRA MACEDO; LETÍCIA MENDES DE FREITAS; MARCOS EDUARDO SCHEICHER. Handgrip and functional mobility in elderly with different levels of physical activity. Fisioter. Pesqui., v. 21, n. 2, p. -, Abr. 2014.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.